terça-feira, 3 de março de 2015

Roteiro gastronômico em Fernando de Noronha

Duplas queridas !!!!!

É impressionante como o nosso Brasil é recheado de pequenos paraísos, não é a toa que dizem que Deus é brasileiro! Só mesmo Ele pra criar um país tão rico em belezas naturais. 

O paraíso da vez é FERNANDO DE NORONHA, um lugar que dispensa apresentações, mas ao mesmo tempo é tão pouco conhecido pelos viajantes brasileiros.

O primeiro post da série Fernando de Noronha vai mostrar a riqueza culinária da ilha. Quando pensamos em Noronha, logo lembramos da fauna marinha: golfinhos, tubarões, arraias, tartarugas..., suas praias de cores caribenhas coroada com a presença do morro dois irmãos, mas o que pouco se conhece da região é a imensa quantidade de bons restaurantes que estão espalhados por aqueles 7 Km de rodovia.

A Dupla testou e se deliciou com os pratos do arquipélago e traz aqui um resenha completa dessa experiência gastronômica. 

O primeiro restaurante escolhido foi o XICA DA SILVA. Chegamos um pouco antes de 20h, o que foi ótimo, pois apesar do bom espaço que o restaurante possui, costuma encher depois desse horário. O primeiro atendimento foi cortez e explicativo. O ambiente é agradável e bem decorado. A rolha custa apenas R$ 20,00, os pratos principais variam entre R$ 73,00 e R$ 83,00, os duplos estão na média de R$170,00 e durante o período do almoço, de seg a sáb, é possível pedir um grelhado (peixe, maminha ou sobrecoxa) com acompanhamentos por R$ 99,00, para duas pessoas.

Nossa escolha, por recomendação do garçom, foi o peixe mestiço. Estava uma delícia, muito bem temperado. Custou R$ 77,00 e serviu a dupla, que estava com uma fome moderada. APROVADO!  Pedimos também o famoso tubalhau, bolinho feito com carne de tubarão, mas, sinceramente, não achamos lá essas coisas. E já que a rolha tinha um preço camarada, preferimos levar nossa garrafa de champanhe, para celebrar o começo de uma viagem maravilhosa :)))


Filé de peixe grelhado c/ molho de manjericão, purê de jerimum recheado c/ camarões e gratinado c/ molho cremoso de manjericão

O segundo dia de orgia gastronômica ficou por conta do Restaurante Varanda, na vila do Trinta, do chef Auricélio Romão, que também já comandou as cozinhas da Pousada Zé Maria e da Maravilha. Chegamos um pouco mais tarde e, como não havíamos feito reserva, tivemos que aguardar vagar uma mesa. A espera não foi muito demorada ou se foi, passou despercebida, pois o restaurante conta com mesas externas, onde é possível já ir namorando o cardápio.

Pedimos de entrada a lula à doré na farinha dourada, que estava uma delícia e custou R$ 39,00. O prato principal estava MA-RA-VI-LHO-SO, foi o gratinado de frutos do mar e custou R$ 139,00, fartamente servido para 2 pessoas. Vale muito a pena dar uma conferida no cardápio complete



frutos do mar puxado no azeite e temperos, envolvidos com arroz, legumes e queijo


Nosso terceiro dia de comilança começou com um almoço a bordo do catamarã que nos levou para fazer o passeio na ilha. Escolhemos a empresa Trovão dos Mares e não nos arrependemos, uma pena que o tempo ficou nublado. O almoço já está incluído no preço do passeio e é preparado enquanto fazemos snorkel na praia do Sancho. Ao retornarmos para a embarcação, o banquete está montado: saladas, sushis, arroz, feijão, farofa de pão, peixes, tudo muito simples, mas gostoso! Infelizmente, em meio a tantas belezas do passeio, não tiramos  fotos do almoço estilo self service. Bom, mas o passeio por si só já vale a pena, ainda mais com um almoço caprichado.

Como já tínhamos almoçado, deixamos a noite para fazer um lanche e escolhemos o Empório São Miguel. Era uma noite chuvosa e o restaurante estava bem cheio. Sentamos em uma mesa na área externa e parece que éramos esquecidos ali. Tudo que pedíamos não tinha e a recomendação era não pedir pizza, pois demoraria mais de 40 minutos. Acabamos pedindo tapiocas (R$ 19,00), que não vieram de acordo com o pedido e deixaram muito a desejar. Acabou que teria sido melhor esperar os 40 minutos pela pizza, pelo menos tinha uma cara ótima. Talvez, em um dia mais vazio, seja interessante experimentar as opções de grelhado, que variam de R$ 34,00 até R$ 56,00 com 3 acompanhamentos.

No quarto dia, descobrimos um ambiente muito bem decorado, que nos fazia esquecer a rua esburacada que nos levava até a POUSADA TRIBOJU. Parecia um cantinho de civilização no meio do Paraíso. Chegamos bem cedo, pois não tínhamos feito reserva e fomos muito bem atendidos. Nossas escolhas foram acertadas, mas confesso que fiquei com vontade de experimentar o risoto de camarão com limão siciliano (Fui obrigada a ceder em favor da minha dupla srsrs :)) De entrada pedimos um carpaccio de salmão, que parecia mais um sushi e de prato principal, uma apetitosa moqueca de frutos do mar, ambos deliciosos. Saindo do jejum de sobremesa, experimentamos a cheesecake de morango (a original é de pitanga, mas eles fizeram a gentileza de trocar). Bem, pra quem já foi na The CheeseCake Factory fica difícil encontrar comparação. Não gostei da consistência e o gosto deixou um pouco a desejar (Ai, como sou crítica rsrsr), mas comi tudinho rsrsrs Preço: bebidas não alcoólicas + entrada + prato principal + sobremesa = R$245,30









No quinto dia, trocamos o jantar pelo almoço, para aproveitar a vista da Pousada Maravilha. Esse nome não é a toa, pois a vista é realmente uma maravilha! Com uma piscina de borda infinita, o restaurante conta com a vista da Praia do Sueste e uma linda decoração. Dessa vez, pedimos um prato pra cada um, eu fiquei com o spaghetti de frutos do mar e minha dupla ficou com o risoto de frutos do mar. Os dois estavam fazendo jus ao nome da pousada, mas definitivamente o risoto foi o preferido da dupla. Estava divino !!!

Apesar do restaurante estar situado em uma das pousadas mais caras da região me surpreendeu o fato de não ter capiroska de morango (apesar de entender que a falta de muitos alimentos, inclusive em outros restaurantes, se deve ao fato do transporte ser feito por navios e dependerem das condições do mar) e a tão esperada sobremesa, petit gateau, ter acabado - sendo que o garçom afirmou que era um dos carros-chefes da casa, por ser feita lá mesmo  - é feita lá e não tem, como assim???). Outro ponto que não foi favorável foi o fato de não terem disponibilizado a varanda para o almoço, por ser exclusiva dos hóspedes. Poxa, a gente tinha feito reserva e o restaurante estava VAZIO. É um mimo com os clientes que às vezes faz falta. Tirando esses contratempos a comida, realmente, é muito gostosa! Preço: bebidas não alcoólicas + pratos principais = R$ 279,40.












O sexto dia, ou melhor, noite foi reservado para o Restaurante Du Mar, localizado próximo ao TAMAR, ideal para ir depois das palestras, mas se não for o caso, pode ser agendado um serviço de transfer gratuito do próprio restaurante. Fui com a expectativa lá em cima, pois uma amiga me indicou o risoto de camarão e eu já estava com vontade de comer esse prato desde o dia do Triboju rsrs.

Como fomos de transfer, aproveitamos pra levar mais uma champanhe para o restaurante (a rolha tb era R$ 20,00), mas qual não foi a nossa surpresa ao sermos informados que estava faltando gelo :(( Pelo menos, depois de um tempo, o gelo chegou e conseguimos gelar nossa bebidinha. De entrada, pedimos o mix de pastéis (R$ 29,90) que, na verdade, só vinha de queijo com camarão, porque os outros estavam em falta. (coisas de Noronha), estava gostoso. Finalmente o prato principal, aproveitei para pedir o tão esperado risoto de camarão (R$ 69,90), mas foi uma decepção :'( À primeira vista, o prato estava bonito, mas o camarão estava com gosto de terra e o risoto em si não me agradou. O prato da minha dupla, frutos do mar à provençal (R$ 69,90), também não foi grandes coisas. Conclusão, pelo preço que pagamos teríamos comido melhor em outro restaurante.






Deixamos o sétimo dia para conhecer a POUSADA ZÉ MARIA, já que não conseguimos a reserva para o dia do festival (quarta e sábado). O lugar é fantástico, o garçom Cláudio que nos atendeu era gentil e prestativo. Soube nos aconselhar nos pratos e ganhou nosso conceito 10! Comecei logo com a capiroska de uva! De entrada pedimos o delicioso ceviche, mas trocamos a marinada com graviola, por limão e laranja. O prato principal estava um verdadeiro deleite, cauda de lagosta com molho de manteiga e alcaparras, sem falar que o garçom tirou a carne da lagosta na nossa frente, deixando tudo prontinho pra ser "atacado". Não resistimos e pedimos a sobremesa. Meu Deus, não fiquei nem um pouco arrependida. Fantástica!!! E nosso garçom-amigo ainda nos serviu com uma cortesia de calda de brigadeiro extra. Uauu!

Pra completar, ao saber do nosso interesse em participar do festival, o Cláudio nos apresentou ao Ronaldo, responsável por este setor, que anotou nossos dados e prometeu conseguir uma reserva para o sábado :))) E não é que conseguiu!?! Seu Zé Maria abriu a parte externa da Pousada para o festival (que será comentado a seguir) e fomos agraciados com 2 lugares; de quebra ainda conhecemos um casal agradabilíssimo de Recife, com quem dividimos a mesa. Conclusão: comida excepcional, atendimento de primeira e simpatia nota 10! Com certeza foi eleito o nosso preferido pelo conjunto da obra rsrs. Preço: entrada + prato principal + sobremesa = R$ 347,45.









O Grand Finale ficou por conta do Festival Gastronômico da Pousada Zé Maria. O restaurante estava cheio, mas confortável. Como eu disse, ficamos nas mesas colocadas no lado externo, compartilhando com mais um casal. O clima estava agradável e a noite foi prazerosa. De ínício, parecia que não haveria comida pra tanta gente, ou espaço suficiente  para todos se servirem do banquete, mas não foi isso que aconteceu. O seu Zé Maria e seus chefs apresentaram os pratos e já acalmaram os ânimos garantindo que ninguém ficaria sem comida rsrs A questão não é apenas quantidade; além de muita fartura, o festival conta com comida de qualidade: paella, lagosta, peixes, bacalhau, salmão, sushis, camarões, carnes, frango, ceviche, saladas. Tem de tudo, para todos os gostos, sem falar nas sobremesas......é de se acabar!!!! Pra terminar, fomos presenteados com o show particular da Daniela Mercury, que estava curtindo as férias após o carnaval e, mesmo rouca, aderiu à cantoria da música ao vivo, por mais de 1 hora, alegrando nossa noite. Realmente, não poderia ter havido encerramento melhor da nossa viagem de carnaval !!!! Preço: R$ 163,88 por pessoa.





Em uma tarde que o swell tomava conta do porto e nos impedia de fazer o planasub, fizemos um lanchinho rápido pra matar o tempo e a fome no Museu do tubarão, com direito a bolinho de tubalhau, brigadeirão e sorvete frito, sim, sorvete frito. Esse merece até uma foto! Fica como uma sugestão de guloseimas, apesar de também servir pratos.







DICAS >>>

1)  Não se assustem com os preços! Em Noronha, comer bem significa pagar um pouco mais caro do que estamos acostumados, mas vale a pena ! Uma opção é fazer como fazíamos, uma boa refeição em um bom restaurante por dia; no mais, lanchinhos pra matar a fome. Agora, se vocês não estiverem a fim de gastar tanto dinheiro, existem opções mais em conta, como quentinhas de comida caseira por R$ 15,00 ou restaurantes com o preço mais conta;

2)  reservem com antecedência, para não correr o risco de ficar na lista de espera;

3)  caso não tenham feito reserva, cheguem por volta de 20hs. É a partir desse horário que eles costumam encher;

4)  como Noronha é pequena, vale a pena passar antes no restaurante, pra dar uma olhada no cardápio, ver se o menu, preço e ambiente lhe agradam, quanto custa a rolha, se aceita cartão...essas coisinhas. Aproveitem e façam a sua reserva com antecedência;

5)  é possível que faltem alguns itens do cardápio. Tenham sempre uma segunda opção. Vocês estão numa ilha e tudo é mais difícil de conseguir! Paraíso tem dessas coisas rsrs; e

6) se vocês tiverem que escolher algum desses restaurantes, fica a dica para o TOP5: Pousada Zé Maria, Varanda, Maravilha, Triboju e Xica da Silva. Não sei, necessariamente, em que ordem (Zé Maria nº1, com certeza), mas é fato que foram os 5 melhores !!!

E aí ?!? Se gostaram, compartilhem, cliquem no G+1 e deixem sua dica nos comentários :))

4 comentários:

  1. Obrigada pelas dicas, amei!
    Nesses restaurantes existem opções para vegetarianos?
    Amo peixes, mas meu esposo não come nenhum tipo de carne e odeio comer apenas salada....rsrsrrs

    Mais uma vez grata pelas informações!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Gisele! Que bom que você gostou! Agradeço a participação aqui no blog! Com certeza você vai achar boas opções nos restaurantes de FN! Dependendo do tipo de restrição que vocês têm, podem pedir um prato de massa, mas o melhor é tentar entrar em contato com os restaurantes antes de ir. Aqui no post, coloquei o link de alguns deles! Depois passa aqui pra deixar suas sugestões de comida vegetariana em Noronha. Beijos :x

      Excluir
  2. Boa tarde Emanuelle! Adorei suas dicas de restaurantes em Noronha, estou indo para lá na semana que vem com meu marido. Vc citou que dois restaurantes cobraram 20 reais de rolha, vc. chegou a perguntar o valor da mesma nos outros restaurantes? Qto ao champagne, vc. comprou na ilha mesmo, em qual lugar? Desde já agradecida. Att. Gisele

    ResponderExcluir
  3. Oi, Gisele! O champagne nós levamos na mala mesmo. Lá tem supermercado, mas não sei te dizer se vende, nem o valor. Acho mais garantido levar! Quanto ao valor da rolha,tenta entrar em contato com o restaurante antes (tem link no post), pra saber o valor atualizado. Não lembro de ter perguntado o valor da rolha nos outros restaurantes. Boa viagem e tenho certeza que vocês vão amar!

    ResponderExcluir