segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Tailândia - o que você precisa saber?


Nossos seguidores que acompanham o facebook e instagram sabem que passamos dias maravilhosos em nossa última viagem. Foram 18 dias viajando para Tailândia e Camboja e descobrindo um roteiro cheio de encantos. Com certeza quem viu as fotos ficou com muuuuuuita vontade de reservar esse destino para as próximas férias!

Grand Palace - Bangkok


A Tailândia é um roteiro cada vez mais em alta e não é para menos! Um país riquíssimo em belezas naturais, abundante em diversidade cultural e ainda muito barato para os brasileiros! No primeiro post da série, escolhi falar sobre as dicas em gerais, indispensáveis pra organizar uma boa viagem pra lá. Tenho certeza que vai ficar muito fácil montar a viagem depois de ler esse post. 

Lógico que vou dar várias dicas de como tornar a sua trip ainda mais barata, mas sem perder o conforto, né?!? Achei legal abordar esse tema logo no começo, porque muitas pessoas se assustam com uma viagem pro continente asiático e acham que vai ser uma dificuldade chegar do outro lado do mundo ou que vai ser uma viagem caríssima, ledo engano, minhas duplas queridas! É possível, sim, viajar por conta própria para o Oriente e ainda gastar pouco (pelo menos, menos do que se imagina).

A organização é a base de qualquer viagem. Uma viagem bem organizada é a garantia de 70% que sua viagem vai dar certo! E pra montar o roteiro, nada melhor do que começar definindo quantos dias são necessários pra ficar por lá! Diria que o mínimo é de 15 dias, menos que isso, sugiro escolher outro roteiro! Duplas, pra chegar lá do outro lado do mundo demoooooora muuuuuuito tempo, a passagem nem sempre é barata, então não rola passar pouco tempo. Além disso, é tão lindo, mas tão lindo, que no melhor da festa vocês estariam indo embora. Vai por mim, não compensa!

É bom levar em consideração que será 1 dia e meio de deslocamento aéreo na ida e na volta e que possivelmente o cansaço vai pesar com o fuso, então procurem fazer um roteiro levando em consideração tudo isso.

Falando em vôo, não existe transporte aéreo direto para a Tailândia. Algumas das opções é viajar pelas empresas: Emirates, com conexão em Dubai; Quatar Airways, com conexão em Doha e as mais conhecidas dos brasileiros, KLM, Airfrance e British Airways. Como os vôos são longos, vale a pena conferir a política da empresa de stop over (ficar 1 ou 2 dias na cidade de conexão) ou ainda hospedagem na cidade de conexão, quando o tempo no local até o próximo vôo é bem demorado.

Fomos de Qatar Airways, saindo de São Paulo, por meio do programa de milhas smiles. As passagens pra Ásia costumam ser bem caras, então, a forma, sem dúvida, mais barata de viajar pra lá é por meio de milhas. Dificilmente vocês conseguirão uma passagem pra Tailândia por menos de R$3.000,00 (isso em promoção). O smiles, quando compramos, estava cobrando 50.000 milhas o trecho. Hoje em dia, não acho por menos de 80 mil milhas. Então, fiquem atentos às promoções! Escolham a data de viagem e façam pesquisas diárias, uma hora vocês conseguem.

Para acumular milhas, além dos meios mais clássicos, como transferência dos pontos do cartão de crédito e programas de fidelidade das empresas parceiras, acompanhem as promoções da própria rede de milhas. Este ano mesmo, anunciei aqui uma promoção bem vantajosa do smiles, que inclusive foi a utilizada pra conseguirmos as milhas restantes para a nossa viagem. A cada milha transferida para o amigo por R$ 0,03, vc recebia milhas em dobro, totalizando 200%.

Assim, o Diogo me transferiu 40 mil milhas por R$ 1.200,00, recebeu 80 mil milhas (as 40 mil de volta + 40 mil) e eu recebi 40 mil. Fiz o mesmo esquema com meu pai, transferi 40 mil pra ele e recebi 80 mil. No total, fiquei com 120 mil milhas (40+80) e utilizei 50 mil para comprar cada trecho pagando apenas R$1.200,00 (como cada um recebia 40 mil milhas por transferência, dividimos o valor em reais por dois, então cada transferência custou R$600,00, deu pra entender?). Conclusão: R$1.200,00 + tx de embarque = passagem ridiculamente barata!

Agora que vocês já viram que é possível viajar pra Tailândia sem gastar muito com passagem aérea, vamos à melhor época para encarar aquele paraíso! A estação na Tailândia é dividida em 2: o período das chuvas que vai de maio a outubro e o período da seca que vai de novembro a abril, sendo mais recomendado ir no período de novembro a fevereiro, em que as temperaturas estão mais amenas.

Maya Bay - A praia

Contrariando todas as informações, escolhemos ir em outubro. E muitos podem pensar, são loucos! Ir no período das monções?!? Pois é, mas levamos em consideração que o clima está completamente maluco no mundo inteiro e assim como no Rio de Janeiro nem sempre está frio no inverno, nem as águas de março fecham o verão, resolvemos arriscar e pagar pra ver! Até porque, São Pedro não saberia diferenciar o que seria final de outubro ou começo de novermbro, saberia?

Vou confessar que muitas horas fiquei tensa de estar indo no período das monções, principalmente quando descobri que em Koh Samui o clima é diferente e, na verdade, as monções estão começando nesse período. Bom, mas a passagem já estava comprada e só nos restava esperar pra ver. Já pensava nas chuvas e mar agitado que nos esperariam, mas confiei que tudo daria certo! E deu! :))) ehhhhh!!! Tenho certeza que esse relato vai acalmar muitos corações desesperados por saber se é possível ir fora de temporada!

Se pegamos chuvas? Sim! Mas foram suficientes para atrapalhar a viagem? Não! Definitivamente, não! E vou dizer mais, algumas nuvens que apareceram ao longo da viagem ajudaram muito a diminuir o calor! Um céu completamente azulado com aquele calor absurdo não é facil de aguentar! Graças à Deus tudo ocorreu bem, pegamos uma chuva forte em Chiang Mai na parte da noite, mas estávamos cobertos numa feirinha local e não chegou a atrapalhar. As chuvas são como as nossas de verão, ou como as da região amazônica, pesadas e rápidas. Na região das praias, só pegamos chuva em Koh Samui e diria que foi o único ponto da viagem em que a chuva atrapalhou, pois desanimamos de conhecer Koh Tao. Também chegou a chover uma noite em Bangkok, já no final da viagem, quando retornávamos para passar o último dia. A chuva também foi rápida e forte, a ponto de alagar algumas ruas e causar um pouco de trânsito, mas não a ponto de atrapalhar nosso roteiro, pois estávamos indo para o hotel dormir. Em todos os outros dias da viagem, muito sol e calor! Aliás, calor, muito calor, todos os dias!

Falando em sol, levem roupas frescas, porque lá é muito úmido e muito quente. Não se preocupem em levar muitas roupas, as lavanderias cobram aproximadamente 4 reais para 1Kg de roupa! As empresas aéreas que fazem os vôos internos, como a Bangkok Airways e Air Asia cobram pelo peso extra, então todas as passagens internas foram compradas pagando-se a mais para levar uma mala de 20kg. As empresas não são muito rigorosas, mas é bom não exagerar! A BKK Airways foi a única que vimos exigindo o limite, mesmo assim, era possível levar até 20,9kg que eles não reclamavam.

Levem protetor solar e repelente de mosquito. É fato que vocês irão precisar! Além de todos os itens que a gente listou aqui no blog ver lista. Leitura obrigatória na hora de arrumar a mala ;)

Outra dica preciosa é a escolha dos lugares que vocês querem visitar. Só dá pra saber quantos dias passar num país se vocês tiverem um mínimo de ideia do que querem ver por lá. A não ser que vocês já tenham uma data pré definida e aí não tem jeito, vão ter que cortar algumas cidades.

O que não falta é lugar interessante na Tailândia pra conhecer, mas em viagem nunca dá pra ver tudo (o que é sempre um motivo pra acabar voltando, né?! rs). Então vamos listar aqui os imperdíveis e quanto dias passar nesses lugares:

1- Bangkok: Impossível não visitar a capital da Tailândia. É lá que vocês vão encontrar grandes templos e, provavelmente, será sua porta de entrada e saída do país. Reserve no mínimo 3 dias para a cidade.

Buda deitado



2- Ayutthaya:Vocês podem fazer um bate e volta para a cidade saindo de Bangkok ou, ainda, seguir caminho para Chiang Mai, já que fica no meio da rota. Cheia de templos e ruínas, foi capital do Reino de Sião.


3- Chiang Mai: Uma cidade arborizada e bem diferente das duas anteriores. Achamos muito bonitinha! É lá que, além de templos lindíssimos, é possível andar de elefante, visitar os tigres e conhecer as mulheres girafas. Dois dias é suficiente, caso não queiram passar o dia inteiro com os elefantes. Se quiserem e tiverem tempo, acrescentem mais um dia para ir a Chiang Rai, conhecer o templo branco e o triângulo dourado.



4- Praias: Reservem alguns dias para conhecer as belezas naturais da Tailândia visitando algumas praias e ilhas. Os principais destinos são Krabi, Phuket e Koh Phi Phi, onde é possível visitar Maya Bay, cenário do filme A Praia, com Leonardo de Caprio. Do outro lado da área continental é possível visitar Koh Samui, Koh Tao e Koh Phangan, que é onde acontece a Full Moon Party (festa da lua cheia). A quantidade de dias em cada lugar, vai depender do gosto de vocês por praia, que é a principal atração desses lugares. Não ficaria menos de 6 dias, a não ser que tenham pouco tempo, mas aí escolheria o lado de Koh Phi Phi e abriria mão de conhecer a ilha de Samui e vizinhas.

Phra nang Beach


Quanto à locomoção interna entre as cidades, optamos por fazer de avião, pois economizaríamos tempo e as passagens não estavam tão caras (as viagens duram em média 1 hora e custam em torno de R$ 300,00 já incluída a taxa de bagagem). O bate volta para Auytthaya fizemos a ida de trem e a volta de van. Nas cidades, nosso principal transporte era o Tuk tuk ou o táxi e tinham que ser barganhados, sempre levando em consideração o número de pessoas. Tente fazer com que ele cobre pelo taxímetro, sai sempre mais barato, desde que o motorista saiba realmente para onde está te levando.

A moeda é o Bath Tailandês e as casas de câmbio são facilmente encontradas. A melhor cotação encontramos em Koh Samui, mas não tinha uma diferença muito grande.

É difícil encontrar alguém que fale um bom inglês, mesmo em Bangkok. Porém, isso só nos criou dificuldade na hora de pegar o táxi. Falando em táxi, cuidado com eles, muitas vezes não sabem para onde estão te levando, te deixam em outro lugar que não foi o pedido ou te levam para algum lugar para ganhar comissão do restaurante ou loja, mas isso tem em qualquer lugar do mundo.

Uma dica de um lugar que deixou saudade em nossos corações (rsrsrrs) foi o seven eleven, loja de conveniência que existe em cada esquina e que foi muuuuuuuuito frequentada nessa viagem! Era lá que tomávamos café quando não estava incluído no nosso hotel (e vale a pena, heim ?!? A média do preço de café da manhã nos hotéis é de R$ 25,00, enquanto que na loja de conveniência, se pagava muito menos por um bom café da manhã, menos de R$5,00 ). Era nossa loja preferida pra descansar entre um templo e outro e, lógico, sempre aproveitávamos pra fazer um lanchinho. Um sorvete corneto custava apenas R$ 2,50 o que aqui no Brasil é o preço de um frutare. Além disso, lá vende um dos presentinhos mais baratos: o balm de massagem. Comprei o meu por apenas R$ 2,50. E também outros produtos interessantes como cremes de beleza e demais cosméticos. Comprei shampoos de marcas conhecidas, em embalagem de viagem, o que é difícil de achar aqui no Brasil.

Quanto gastar? Em uma viagem de 16 dias na Tailândia e Camboja, já tirando o dia de ida e volta, gastei aproximadamente $1.000,00 (mil dólares) com alimentação, passeios, tickets e souvenirs. As passagens aéreas internas (6 vôos) totalizaram aproximadamente R$2.000,00 e os hotéis custaram mais ou menos R$1.500,00. Esses preços foram por pessoa, em quarto duplo e com refeições de leve a moderada, o que significa dizer que muitas vezes optávamos por lanches ao invés de refeições em restaurantes, mas saibam que não é difícil achar pratos de R$20,00 a 30,00.

Por fim, o bizu vai para os trajes. Como são muitos templos pra serem visitados toda atenção com a  roupa é importante. Os ombros e joelhos devem ser cobertos e os sapatos devem ser retirados ao entrar nos templos (nunca vi pisos tão limpos) na maior parte é possível cobrir os ombros com um lenço. Os homens conseguem entrar com bermuda na altura do joelho. Como o calor é muito grande, vale a pena ir de short e colocar um lenço simulando uma saia na altura do joelho só pra entrar no templo.No entanto, no Grand Palace, em Bangkok, eles foram beeeeeem exigentes e nos obrigaram a comprar uma blusa de manga para entrar e olha que fomos insistentes, tentamos de todos os jeitos transformar a pashimina em blusa, mas não rolou! Quanto aos sapatos, calce algo que seja fácil de tirar e colocar, vale até havaianas.

Acho que essas são as principais dicas gerais da viagem pra Tailândia (que também podem ser aproveitadas pra Camboja), as demais vou passar quando escrever o roteiro das cidades pra vocês. Se tiverem alguma dúvida, deixem seu comentário aqui. Espero que tenham gostado!

3 comentários:

  1. Eu e minha filha estaremos indo para a Tailândia em dezembro por 30 dias. A nossa maior preocupação é qto. Precisaremos para ficar lá sem passar apertos..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Helena! Vai depender do que você já pagou antes de ir, como hotéis e passeios. O custo em geral é barato, o que fica mais caro é a passagem aérea. Dá uma olhada no post sobre QUANTO GASTAR? pra você ter uma noção de quanto gastamos, lembrando que nossa viagem foi em out/2015 por 18 dias. Qualquer dúvida só perguntar aqui. bjos

      Excluir
  2. Eu e minha filha estaremos indo para a Tailândia em dezembro por 30 dias. A nossa maior preocupação é qto. Precisaremos para ficar lá sem passar apertos..

    ResponderExcluir