quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

Dicas de como viajar sem falar inglês

Vejo que muitas pessoas têm MEDO de viajar por não falar inglês e acabam deixando de conhecer lugares maravilhosos. Um jeito fácil de resolver esse problema é contratar uma excursão e deixar por conta deles. Existem outras formas, no entanto, que dependem de um pouco de coragem, mas que podem transformar a sua viagem em uma viagem ao seu interior! Nada mais gostoso que traçar um objetivo e conseguir conquistá-lo. Nada é impossível! 

Falo isso, porque quando começamos a pesquisar uma viagem em blogs, sites e livros é como se já conhecêssemos aquele lugar; ficamos tão íntimos, que ao chegar no local, dificilmente algo vai sair errado e o "não falar inglês" vai ser apenas um detalhe. 

Nunca ouvi dizer de alguém que não voltou pra casa, porque não conseguiu se comunicar. O máximo que já ouvi foram boas histórias, que renderam boas gargalhadas, como uma senhora que perguntou ao garçom que tipo de carne era aquela, fazendo Muuuuuu??? e o mesmo respondeu que não, fazendo Béeee!!!! hahahah. 

Hoje em dia, existem várias tecnologias que podem ajudar nessas horas, como aplicativos que fazem a tradução e mapas que funcionam offline. 

Um desses aplicativos é o google tradutor que pode ser baixado no celular e te ajudar quando bater o desespero. Essa ferramenta tem inúmeras funcionalidades e uma das grandes facilidades é que ela pode funcionar offline, ou seja sem conexão com a internet, desde que você baixe o idioma que deseja (gratuito).

Mas imagina que aparece um texto enorme na sua frente e você pensa: Agora ferrou! #sqn O aplicativo permite que você tire uma foto e ele se encarrega de fazer a tradução. Que tal? Perfeito, hein?! Acho que até eu vou usar na hora que bater a preguiça rsrsrsr 

Ahhhh, mas você fala inglês fluente e se garante?!? E francês, alemão, japonês, também fala???  Pois é, ele pode te ajudar em muitas outras línguas. 

Aí agora você pensa: tô salva! Imagina quando você descobrir que ele também traduz por áudio?! (você manda uma áudio em português e na mesma hora ele traduz. Você pode até colocar a pessoa pra falar em inglês, que você vai ouvir e ler tudo em português). Bom, a essa altura do campeonato já sei que o seu celular acabou de ganhar mais um aplicativo! E vai ser muito útil, tenho certeza! Estou IM-PRES-SIO-NA-DA!!!!!


Reparem nas funcionalidades do GOOGLE TRADUTOR: foto, aúdio e até desenho (alfabeto japonês, por exemplo)



Outra dica para não se perder e ter o guia das principais cidades em suas mãos é baixar o aplicativo do tripadvisor, bem conhecido entre os viajantes. O que muitos não sabem é que existe um campo para fazer o download das cidades de interesse e depois o acesso pode ser feito de forma offline, ou seja, sem necessidade de conexão com a internet. (lembre-se de baixar a cidade enquanto estiver online)



Um jeito de conhecer a cidade (sem o risco de se perder) são aqueles ônibus hop on hop off, que deixam em todos os pontos turísticos, com áudio guias em várias línguas, inclusive o português. Assim, além de não se perder, ainda dá pra conhecer a história do lugar na sua própria língua. (site- clique aqui)


Essa dica que vou dar agora, vale para todos os viajantes, inclusive os que falam inglês. Existe a possibilidade de fazer uma visita guiada pelo centro da cidade, passando pelo principais pontos turísticos, com um guia que fala outras línguas (normalmente o espanhol já ajuda bastante), são os free walking tours (tradução livre: visita a pé guiada), feitos normalmente por moradores locais, formados em história, que marcam um ponto de encontro e custam apenas o que o seu coração e a sua consciência mandarem. 

Os guias costumam estar identificados com um guarda-chuva no ponto de encontro (normalmente, em um praça turística de fácil acesso)

Esse tipo de turismo é bem comum nas principais cidades turísticas do mundo, inclusive, aqui no Brasil também já existe! Você só tem que lembrar de buscar no google por free walking tour e o nome da cidade que quer conhecer. Então, você descobre o ponto de encontro e horários que essas visitas acontecem em diversas línguas e se direciona ao local para fazer o tour gratuito (É conveniente dar uma gorjeta, se gostar do serviço). O ideal é mandar um email para maiores informações e garantir o seu lugar, pois eles costumam atender a grupos pequenos, o que é bem legal também.

Bom, eu fiz este post, porque muitas pessoas têm um certo receio de viajar por conta própria. Um dos maiores empecilhos é o idioma, o medo de se perder, de não conseguir entender e se fazer compreender. Acho que todas essas dicas vão ajudar a dar um pouquinho de coragem para acreditar que é possível viajar para fora do Brasil sim, mesmo sem falar inglês.

Gostaram? Se essas dicas foram úteis ou se você tem alguma pra ajudar nossas duplas viajantes, não esqueça de compartilhar conosco aqui nos comentários e boa sorte!

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Atenas - uma viagem ao passado - o que fazer, onde ficar, onde comer?

Primeiramente, queria pedir milhões de desculpas pela ausência aqui no blog. Nem sempre os compromissos do dia a dia permitem que a gente publique as novidades por aqui. Pelo menos quem segue a gente também no instagram @dupladeviagem consegue acompanhar as fotos e as viagens maravilhosas que fazemos. Essa viagem foi organizada para os meus pais no ano de 2015. Eles  voltaram e ficaram encantados com a viagem. Minha mãe elogiou muito o roteiro passo a passo que fiz para eles e resolvi compartilhar aqui com vocês.

Organizar uma viagem pra pessoas tão próximas da gente não é nada fácil, a exigência e cobranças são maiores, afinal a gente não quer decepcionar quem a gente ama, né?!? Tomei como base uma parte de um roteiro que fiz com meus irmãos em 2011 e adaptei para eles. E aí?!? Prontos para conhecer a Grécia?

Vamos começar nosso roteiro com Atenas, a capital grega!


Acropolis vista ao anoitecer



Quantos dias ficar?

Quando fui, há alguns anos, o foco da minha viagem era praia e festas, vou confessar! Então, acabamos reservando pouco tempo para Atenas e foi aquela correria. Conseguimos ver os principais pontos da cidade, mas não conseguimos apreciar com calma e desfrutar de tudo que a cidade tinha pra nos oferecer. O ideal seria 3 dias, tempo suficiente para visitar os museus, Acrópole, se deliciar com a culinária grega e curtir a cidade. Foi o tempo que programei para a viagem dos meus pais e deu super certo!

Onde ficar?

Indico o bairro de Plaka, fica próximo a tuuuuuudo, tem fácil acesso ao transporte público e é aquele lugar que a gente pode sair do hotel a pé pra jantar ou fazer umas comprinhas sem ter que pegar milhares de meios de condução. Por essa fácil localização, obviamente, o preço será um pouco mais caro, mas o gasto vale o conforto. Já ouviram falar que às vezes o barato sai caro? Pois é!!! De que adianta pagar mais barato na hospedagem e ter que gastar o tão precioso tempo se locomovendo, fora o custo do transporte de um lado para o outro!?

O Hotel escolhido para a viagem dos meus pais foi o Hermes, que fica entre a praça Syntagma e a Monastiraki, ou seja, super bem localizado! Pra chegar nele, basta seguir essas opções:
Pegar o ônibus x95 no aeroporto, custa 5 euros. Fica em frente ao terminal de chegadas. Tem que validar o ticket e demora de 45 a 55 minutos até chegar à praça syntagma. De lá, andar pela rua Mitropoleos e depois de 3 quadras, virar à esquerda na Rua Patroou. No final dessa rua pequena vcs verão o hotel.
Metro Os tíquetes podem ser adquiridos na própria estação, que fica a poucos passos do aeroporto, por cerca de €8 por pessoa. A vantagem, entretanto, é que há desconto para cada pessoa adicional (duas pessoas pagam €14, enquanto três pagam €20). O metrô parte a cada 30 minutos, das 5h30 à 0h15, e a viagem até a praça Syntagma dura, em média, 40 minutos.
De taxi custa uns 35 euros.

Quarto

banheiro


O que fazer?
Que tal começar a conhecer a cidade com uma guia local, andando pelas ruas e aprendendo um pouco da história da cidade?!? Às vezes, quando viajamos sozinhos, sentimos falta de um pouco de conhecimento sobre os lugares e curiosidades que só um guia podem passar, mas ao mesmo tempo não queremos ficar presos a um ônibus percorrendo a cidade naqueles famosos tours panorâmicos, não é mesmo ?!?
 A solução perfeita para isso são os "walk tours", uma guia da cidade que fala a sua língua (ou alguma que você entenda) e percorre alguns pontos da cidade a pé, com um grupo pequeno. Uma aula de história a céu aberto! São 3 horas de caminhada e o melhor é que é grátis, você só paga se quiser e quanto o seu bolso permitir.
Em Atenas, a guia que fala espanhol é a Yota e seu email de contato é atenasfreewalkintours@gmail.com Também existem guias em francês e inglês. Ela é super simpática e deixa tudo combinado por email. No dia, horário e local marcado ela aparece com seu chapeuzinho branco e sorriso no rosto. O ponto de encontro é a Igreja Bizantina da praça Monastiraki e os pontos visitados são: a praça monastiraki, a biblioteca de Adriano, a ágora romana, a ágora grega, a colina de Ares, Plaka, a praça Syntagma, o parlamento, o jardim nacional, o estádio Panateinaco, o templo de Zeus e o Arco de Adriano. É uma rota ao redor do centro histórico de Atenas e durante o passeio não se entra em nenhum lugar.
Guia Yota - Free Walk Tour

Outra forma de conhecer a cidade é por meio daqueles ônibus "sightseeing". Gosto muito desse sistema, porque permite que você faça o seu roteiro, visite os locais de sua preferência e ainda conheça um pouco a história com os áudio-guias, em diversas línguas, inclusive o português. O ponto de partida é a praça Syntagma, o trajeto completo dura 90 minutos, os ônibus passam de meia em meia hora, custa 18 euros e pode ser feito em 2 dias.

Esse é o roteiro do ônibus:

Stop 1 - Praça Syntagma
 Stop 2 - Melina Merkouri, Plaka
Stop 3 - Novo Museu de Acrópolis
Stop 4 - Acropolis & Parthenon
Stop 5 - Templo de Zeus
Stop 6 - Jardim Nacional
Stop 7 - Museu benaki
Stop 8 -
Estádio Panateinaco
 Stop 9 - Jardim Nacional
Stop 10 - Biblioteca Nacional
Stop 11 - Museu Arqueológico Nacional
Stop 12 - Praça Omonoia
Stop 13 - Praça Karaiskaki
Stop 14 - EstaçãoThession
Stop 15 - Praça Kotzia
Percebam que muitas paradas do ônibus são comuns à visita guiada a pé, mas, mesmo assim, eu faria os 2 tours e foi o que meus pais fizeram, usaram o ônibus para conhecer os pontos mais afastados e aqueles que não tinham sido vistos com a guia Yota. Quando fui, fizemos a pé, por conta própria.
Museu Arqueológico Nacional, um dos museus mais importantes do mundo nesta temática. Pegue o metrô e desça na estação: Victoria, daí é só ir caminhando até o Museu.
Acrópole: Chegar à região da Acrópole é fácil. Basta pegar a linha 2 do metrô e descer na estação Acrópole. Os ônibus 040, 230, 106, 126, 134 e 135 também dão acesso ao local. O tíquete custa €12 (adulto) e permite a entrada não só na Acropole, mas também no Teatro de Dionísio, no Templo de Zeus Olímpico, em Keramikos, Agora Antiga, Agora Romana e na Biblioteca de Hadrian. A Acrópole abre de segunda-feira a domingo, das 8h às 16h30, de outubro a março, e das 8h às 19h30, de abril a setembro.


 

Novo museu da acrópole - Pegar a linha 2 e descer na estação acropolis. É bom entrar no site para conferir os eventos do Museus. Quando meus pais foram aconteceu um show de tango na lua cheia, patrocinado pela Embaixada Argentina, com orquestra nos jardins do museu. A entrada era gratuita no horário do show e poderia ser visto a exibição permanente e a temporária. O restaurante do segundo andar ficou aberto. Um evento imperdível!



Entrada do Museu - foto de 2011  recém inaugurado


Saindo do museu da acrópole em 1 km se chega ao estádio olímpico.
Troca da guarda no parlamento acontece de hora em hora na praça Syntagma.
Andar pelas lojas e restaurantes de Plaka

Bairro de Plaka - rua de compras, bares e restaurantes (direto do túnel do tempo)


 Fora que andar pelas ruas de Atenas é ter um Museu a céu aberto.

Onde comer?
Dionysos O email para reserva é info@dionysoszonars.gr O horário ideal no verão é às 19:30h ou 20:00h para ver o por do sol e o começo do anoitecer com a Acrópole ficando iluminada  (primeira foto do post). De segunda a domingo das 12:00 pm até a 1:00 am Endereço: 43, Rovertou Galli St. 11742


A Dupla de Viagem (meus pais) no restaurante Dionysos

Tavern Kalokerinos: Kekroppos, 10 Plaka, Atenas 10558. Para assistir dança grega.

Pratos típicos: queijo feta, azeitonas, gyros pita, kebab
Duplas, esse roteiro foi pensado para facilitar a vida dos meus pais que não falam inglês e já têm uma certa idade. Lógico que é possível fazer tudo isso a pé, mas o ônibus hop on hop off é uma mão na roda, justamente para esses casos, concordam? Além disso, a possibilidade de percorrer as ruas da cidade conhecendo a história dos prédios e do povo, com pessoas que são locais, formadas em história é fenomenal! Aliar esses dois tipos de turismo só tem a agregar ao seu roteiro. #FicaADica


Sugestão de roteiro para eles:

Dia 1: chegar no hotel, tomar banho e às 16h fazer o roteiro com a guia em espanhol (3 horas de duração). Ponto de encontro na Praça Monastiraki. Jantar na sugestão com vista para acrópolis.
Dia 2: Comprar o ônibus sightseeing hop on hop off vermelho que sai da praça sintagma às 9h. Dar uma volta completa, que dura 90 minutos, e depois vai descendo nos lugares. Fazer o que é a céu aberto nos horários mais frescos (de manhã cedo e depois das 17h) e os museus fechados nos horários mais quentes. Observar no livreto do ônibus o horário que as atrações fecham. O tícket da Acrópole que inclui outras atrações pode ser usado em dias diferentes. Jantar próximo ao hotel, no restaurante de dança grega. Pedir para o hotel fazer a reserva.
Dia 3: Continuar fazendo o roteiro no ônibus. No caso dos meus pais, foram assistir o show de tango no Novo Museu da Acrópole, mas se não tiver nenhum programação especial a dica é jantar no bairro de Plaka, depois de dar uma volta nas lojas das ruas.