Destinos

CURAÇAO - DICAS, QUANDO IR, ONDE FICAR?

Nossa viagem mais recente foi para a deliciosa ilha de Curaçao! Para aqueles que acompanham nossas redes sociais e se encantaram por nossas fotos, estavam apenas aguardando pelo post no blog para saber todas as dicas do local. Tenho certeza que vão se apaixonar mais ainda, porque realmente o lugar é encantador!

O que esperar da ilha que parece trazer o coração no nome? Muuuuuuitas praias paradisíacas, com águas cristalinas de um azul turquesa impressionante, como promete (e cumpre) ser o Caribe! Além disso, o lugar nos surpreendeu com bons restaurantes e um povo bem sorridente! Adoramos! É indicado principalmente para duplas de viagem como a gente e famílias com crianças, mas para os mais festeiros é possível desfrutar dos beach clubs. Como em todo Caribe é recomendável ficar atento para o período do Spring Break (recesso escolar e universitário americano, que traz vários viajantes em busca de sol e festas para regiões de praia, como o Caribe). 

Praia de Jeremi

Se engana quem pensa que, por ser uma ilha, tudo fica perto! O aluguel de carro é quase obrigatório, pois as praias mais bonitas ficam bem distantes do centro (cerca de 40 km). Quase não vimos ônibus circulando e dizem que os táxis cobram valores bem salgados para o padrão brasileiro (mais ou menos $25 para levar do centro às praias). Então, o jeito é alugar carro mesmo! Achei fácil chegar até as praias, pois basta seguir as placas para WestPunt. Para facilitar, vale a pena baixar o mapa do google, que funciona offline. 

Outra dica é ficar atento para os locais de estacionamento, principalmente no centro, já que nas praias existem locais próprios. Digo isso, pois existem muitos lugares com o chão marcado de NP (no parking) e quando você finalmente acha uma vaga, parece muito bom para ser verdade! E é mentira! Não vimos essa informação em nenhum blog e acabamos aprendendo com o próprio erro. Salvo domingo e feriado, que o estacionamento é gratuito, nos dias de semana tem que pagar na máquina que fica próxima ao local. Como não vimos essa máquina, quando voltamos nossa roda estava presa com um papel fixado no para-brisa do carro. Pedimos ajuda aos locais (paramos próximo ao mercado flutuante), que tentaram ligar para o número e depois acabaram explicando pra gente onde ficava o guichê para pagar a multa de $15 (sorte que ficava perto e fomos andando). Ninguém merece!!!

Máquina para pagar o estacionamento
É recomendável levar dólar e evitar as notas de $100, porque alguns lugares não aceitam. Também não aceitam moedas. O troco pode vir em dólar ou em moeda local (Florim). A maioria dos locais aceitam cartões de crédito.

O Clima de Curaçao não é influenciado pelos furacões caribenhos, o que torna possível ser visitada durante praticamente todo ano, devendo ser evitada a época das chuvas que vai de outubro a dezembro, já que praia e chuva não combinam :)) Fomos em Maio e a temperatura estava em torno de 30ºC, já a água não estava morna, mas agradável, possibilitando passar bastante tempo fazendo snorkel e se refrescando do calor (que também não chega a ser insuportável, por conta dos ventos). Pegamos dias completamente ensolarados, assim como dias parcialmente ensolarados (maioria) e um dia de chuva (com sol no final da tarde).

Pôr-do-sol no final da tarde do único dia de chuva

Decidimos passar 1 semana na ilha e achamos de bom tamanho. A maioria passa 5 dias e muitos resolvem conjugar com Aruba, o que é uma boa pedida. Existem alguns cruzeiros que passam por Curaçao, mas, na minha opinião, não dá pra aproveitar o que Curaçao tem de melhor! Diria que de 5 a 7 dias é o ideal!

A língua oficial é o holandês! Sim, Curaçao é a antiga capital das Antilhas Holandesas e ainda tem muita influência na sua arquitetura, povo, comida e cultura de maneira geral. Mas quem acha que não vai conseguir se comunicar lá se engana, pois outra língua falada por lá é o papiamento, que mistura outras 7 línguas, inclusive o português. Então não estranhe se receber um "Bom dia", porque muitas palavras se parecem com nossa língua. Além disso, o espanhol e inglês também são bem aceitos, principalmente com quem trabalha com turismo.


Pra finalizar esse post, vou deixar 2 dicas de hospedagem. Nessa viagem, escolhemos nos hospedar em 2 pontos da ilha diferentes. Como estávamos de carro e malas suficientes para 1 semana, não seria um transtorno mudar de hotel e poderíamos conhecer e desfrutar de locais completamente diferentes, bem como aproveitar o melhor deles. Foi o que fizemos, mas não recomendamos isso para quem vai passar menos de 1 semana.

O primeiro deles, o (clique aqui) Floris Suíte Hotel, foi só surpresas positivas. O quarto é quase um apartamento, com varanda, sala, banheiro e copa (o que ajuda muito, pois a maioria dos hotéis não incluem na diária o café da manhã). Além disso, todo dia de 17h às 18h acontece um happy hour  na piscina com bebidas (cerveja, vinho, água e refrigerante) e alguns belisquetes bem gostosos (0800 total !!!). Era uma delícia desfrutar o final de tarde na piscina, ainda mais com todo esse mimo. Na sexta-feira, o happy hour ainda foi prolongado por mais uma hora, mas no hall do hotel.


quarto

Sala

copa/cozinha


Piscina do Hotel Floris

A localização do hotel é ótima, na praia de Piscadera (5 min. a pé ou o hotel faz o transfer de ida e volta, pra quem tem dificuldade ou pra quem só está com preguiça mesmo - nosso caso rsrssr). Essa praia é a mesma do Hotel Hilton, sendo a entrada, espreguiçadeiras e toalhas gratuitas para os hóspedes (do Floris também). Essa praia possui a estrutura de 2 bares que dão apoio aos frequentadores: o Pirate Bay Beach Club e o Moomba Beach Club.

Outra característica do hotel é que a entrada de crianças não é permitida, talvez por ser gay friendly, ou seja, quem se hospeda no hotel já sabe que pode (e provavelmente vai) encontrar casais gays e a bandeira do arco-íris já anuncia isso logo na entrada do hotel. Não significa que apenas casais homossexuais podem se hospedar, tanto que foi lá que nos hospedamos, significa apenas que se você tem algum tipo de preconceito, lá não é o seu lugar. Aos nossos olhos, o momento que encontrávamos com os outros hóspedes era no happy hour da piscina, e era cada casal na sua, seja homo ou hetero, então não foi problema para gente!


Final de tarde - Happy Hour

Ahhh.... importante falar também que o WI-FI do hotel era MA-RA-VI-LHO-SO!!!! E isso nos dias de hoje é tão importante quanto chuveiro quente rsrsrsrs Ou seja, por toda essa estrutura, adoraaaaaamos o hotel e recomendamos com empenho!

O segundo hotel, ficava na praia da Jan Thiel, mais ao sul, próximo da região do sea aquarium. Essa área da cidade é bem mais sofisticada e hoje em dia é considerada a parte mais cool para ficar. O hotel escolhido foi o (clique aqui) Papagayo Beach Hotel (também só para adultos) e de cara já dava pra perceber que ele ficava numa área mais nobre e consequentemente tinha um conceito mais chic-moderno.

Foto do site

Pra quem gosta de malhar (e tem disposição pra isso na viagem) o lugar é perfeito, pois os hóspedes têm acesso a uma mega academia (clique - The Challenge) e podem inclusive fazer as aulas (horários). Pra quem gosta de correr ao ar livre, vi alguns praticantes correndo a noite na região, pela rua mesmo. O legal é que já dá pra sair da academia, passar num mercado que fica ao lado e repor as calorias perdidas.



Bom, tirando a academia, tudo o mais é pago à parte e foi aí que demos valor às mordomias do Floris! Mas enfim, cada um tem seu estilo e foi exatamente por isso que escolhemos nos hospedar em dois hotéis diferentes.

Dessa vez, o quarto (muito mais luxuoso) não tinha cozinha, mas contava com um frigobar, que junto com o mercado, ajudava no café da manhã. A princípio tivemos que chamar a recepcionista até o quarto, porque a senha da internet não entrava de jeito nenhum e até ela mesma teve dificuldade de conectar, mas finalmente conseguiu.

quarto - foto do site




















O hotel ficava em frente à praia, que também era gratuita para os hóspedes. No entanto, a espreguiçadeira era paga à parte se você quisesse ficar na piscina salgada de borda infinita, imitando uma praia. Então, o jeito foi ir para a outra piscina, o que acabou sendo até mais legal, pois era bem mais reservada e também tinha borda infinita.















Um ponto a favor do hotel é que a estrutura de praia é muito boa. Possui 3 bons restaurantes: Zest, Zanzibar e o Tinto. Além disso, na parte de baixo do hotel, próximo do mercado que mencionei acima, fica um restaurante de comida asiática.

O hotel conta ainda com um vestiário para trocar de roupa e tomar banho, caso seu vôo seja depois do check out (se quiser pode pagar $50 pelo late check out). No nosso caso, como reclamamos que esqueceram de limpar o nosso quarto, acabaram dando o late check out pra gente, nada mais justo!

Uma coisa simples, que ficou na memória, era o delicioso aroma de jasmin do jardim do hotel, cheirinho da minha infância. Vontade de levar o jardim inteiro dentro da mala :)))


Bom, nesse post eu aproveitei para dar as principais dicas de Curaçao e fazer o review dos hotéis que nos hospedamos. Espero que vocês tenham gostado! O próximo post vou contar nosso roteiro com todas as praias visitadas e os restaurantes, vai ser imperdível!!! Até mais :))

Um brinde e até o próximo post ;)


RÉVEILLON DOS MILAGRES - PROGRAMAÇÃO 2017

Oi, Duplas!

Um dos posts mais lidos da gente é sobre o Réveillon de Milagres (clique aqui) e não é pra menos, né?!? Um lugar paradisíaco, com festas sensacionais e pessoas bonitas! Quem não gostaria de passar a última noite do ano em um lugar com esse?


Essa aí de cima é a piscina natural da praia do Toque, uma das mais bonitas da região e o melhor de tudo, praticamente deserta!

Pra quem gosta de festa, o lugar é ótimo, pois além de lindo possui uma das melhores festas de final do ano do Brasil! Além disso, ao longo da semana que antecede a noite da virada, rolam várias festinhas no local!






Uma das festas mais tradicionais e que entra ano sai ano sempre está presente é a "I believe in Miracle" Essa festa tem uma energia incrível, sem falar no lugar onde acontece a festa, que tem um visual maravilhoso!

Pra finalizar, a noite de Réveillon conta com comidas e bebidas da melhor qualidade, música de primeira e uma vibe que recarrega as energias para o próximo ano!!!



Nossa viagem foi na virada para 2015 e como muita gente vem perguntando ainda sobre a festa, resolvi fazer esse post pra contar um pouco sobre o que esperar para o final desse ano, já que acabou de sair a programação.




Com certeza, o Réveillon dos Milagres não vai decepcionar mais uma vez! A programação promete muita música boa e festas para todos os gostos. Muita gente me perguntou no post anterior sobre o estilo de música, se toca só eletrônico e a resposta veio nessa foto acima, até sambinha vai rolar.

De uma maneira geral, toca música de boate, aquela bem comercial e que faz a gente dançar até o dia seguinte, mas depende muito da festa. Eu sugiro procurar no Youtube e redes sociais, pra ver se o estilo se parece com o seu! 

Ahhhh, outra informação importante é que o cadastro para a festa vai começar no dia 30/05. Então, fiquem ligados na data! 

Bjinhos e não esqueçam de conferir nosso post anterior sobre o Réveillon dos Milagres, que vai ser de muita ajuda também!

PUNTA CANA OU CANCÚN - PARA ONDE IR?

Punta Cana ou Cancún? Que dilema!!! Muitas pessoas têm ficado na dúvida sobre que destino escolher no Caribe! A dúvida realmente faz jus, né?!? Afinal, como escolher entre dois paraísos de águas  azuis! Mas além da cor impressionante do mar azul turquesa, o que mais esses dois destinos têm pra oferecer? Uma coisa é certa: qualquer dos dois vai ser diversão garantida!

Bem, quando alguém decide ir para o Caribe, os primeiros destinos que as pessoas pensam são justamente Punta Cana, na República Dominicana e Cancún, na Riveira Maia - México! Eu já fui para os dois destinos, no período do carnaval (fevereiro) e vou passar pra vocês as impressões que tive dos dois roteiros pra vocês escolherem em qual aventura embarcar.

Vamos começar por PUNTA CANA! Para chegar ao destino caribenho, duas companhias saem do Brasil com vôo direto, a TAM e a GOL (duração de 7 horas). Outra opção é pegar um vôo para Santo Domingo e encarar o transporte terrestre até Punta Cana, mas sem dúvida  a primeira opção é a melhor,  a não ser que vocês queiram conhecer a capital também.


Chegando a esse paraíso, a opção de hospedagem é RESORT, com tudo incluído, muita diversão e praias deliciosas. Esse destino é o ideal para casais em lua de mel, famílias com crianças pequenas e qualquer pessoa que procure descanso, sombra e água fresca! Isso porque, o ponto principal desse roteiro é curtir a praia em frente ao hotel e tudo que o resort tem pra oferecer.

Ficamos no excelente Ocean Blue & Sand

Praia em frente ao hotel, com várias atividades

Piscina do resort com monitores e brincadeiras pra várias idades












































Lógico que Punta Cana não se resume a ficar dentro do resort, existem alguns passeios como:

conhecer a Isla Saona (onde foi filmado o filme A lagoa Azul)

;
ir a bares/restaurante como o Hard Rock Cafe
curtir uma noitada em uma boate caribenha que fica dentro de uma gruta (Imagine Club)
levar os pequenos para conhecer o Manati Park Bavaro...

...onde acontecem shows folclóricos, de araras, cavalos...
...golfinhos e muito mais!


Além desses passeios, vocês podem ir ao shopping (Palma Real Shopping Village), fazer parasailing (ser puxado por uma lancha em um paraquedas e ter a visão lá de cima do mar azul de águas cristalinas), passeios de lancha rápida (a dupla pilota um lancha por 2 horas, ótimo pra quem curte emoção) e se divertir com os golfinhos, arraias e tubarões em piscinas de mar aberto (Dolphin  Explore).


Dolphin Island Park - piscinas no mar para interagir com golfinhos, tubarões e arraias

Enfim, o destino agrada a todo mundo, principalmente porque não sai tão caro quanto pode parecer. Os resorts são de excelente qualidade e contam com um mega estrutura, inúmeros restaurantes com bebidas e comidas liberadas. Além disso, o que pode encarecer a viagem são os passeios (em dólar, nada favorável, atualmente, pra gente), mas que não são tantos assim, nem obrigatórios. Eu mesma, quando fui, escolhi fazer apenas o passeio para a ilha Saona e o Dolphin Explore (já que nunca tinha tido contato com golfinhos). O Manati Park estava incluído no meu pacote e acho que só vale a pena pra quem tem crianças. Como fui com amigas, resolvemos conhecer a Imagine Club, bem legal! Shoppings e bares são um complemento para o final da tarde/noite, mas também podem ser dispensados, tendo em vista as variadas atrações do resort em que resolverem ficar.


Trio de Viagem- Carol, Vavá e eu :))))


CANCÚN, por sua vez, é um destino mais agitado, com muito parques, passeios e vida noturna. É o lugar perfeito para quem não tem paciência de ficar só no resort. Se vocês escolheram viajar com um grupo de amigos, então fizeram a escolha certa! Porém, se a ideia é curtir com a família ou em casal, não se preocupem, há programas para todos os gostos (só lembrem-se de escolher bem o hotel e fugir do período do spring break, em que os universitários americanos aproveitam para fazer a festa por lá).



Assim como em Punta Cana, é preciso ter cuidado com a época da viagem, pois entre agosto e novembro ocorrem com mais frequência os furacões. Então, aproveitem para se esbaldar entre fevereiro e maio, que não tem erro!!!

Para chegar a esse paraíso, a TAM é a única empresa que possui vôo direto, saindo de São Paulo, com duração de 7h45m.

Pra mim, o diferencial de Cancún é que além do contato com a natureza (praias, cenotes, mergulhos), os passeios nos levam a viajar no tempo ( Chitchen Itzá, Tulum) e além disso, tem muita diversão nos parques aquáticos (Xcaret, Xplor) e nas casas noturnas (Coco Bongo, Senor Frog's). É agito garantido! Se vocês procuram um destino tranquilo, talvez esse não seja o melhor lugar (nada impede que vocês optem por curtir sombra e água fresca, claro que pode! Mas é um desperdício estar num lugar com tantas opções e não aproveitá-las. Quem sabe pra vocês não seja melhor ficar em Playa Del Carmen?).



Quanto à hospedagem, acredito que a grande maioria escolha os resorts, mas, sinceramente, quase não aproveitei o meu quando fui! São tantos passeios que dificilmente você vai aproveitar tudo que o resort tem pra oferecer! Vejam bem direitinho qual vai ser a sua programação pra ver se compensa. No meu caso, aproveitei apenas o primeiro dia na praia em frente ao hotel e uma tarde na piscina. Todos os outros dias tivemos passeios e acabávamos curtindo o resort só no jantar, porque as noites ainda eram divididas entre o shopping e as casas noturnas.


















O custo da viagem acaba saindo mais caro, porque os passeios são em dólar (como em Punta Cana) e  nesse quesito não tá tranquilo, nem favorável rsrsrsr Como vai ser difícil estar em Cancún e desperdiçar a oportunidade de conhecer lugares incríveis, o valor gasto vai ser bem superior, se comparado a Punta Cana.

Aqui vão algumas opções de passeios pra quem pretende se aventurar por Cancún:


  •  Parques - O escolhido da nossa viagem foi o Xplor, que reúne tirolesas, rios e grutas artificiais
Xplor

Diversão com as amigas

Tirolesa
  • Tulum e Chichen Itzá- dois passeios que contam a história Maia da região.

    Tulum

    Tulum- ruínas e história


    Chichen Itzá
























  • Junto com os roteiros históricos, nosso guia sempre mesclava o tour com um passeio mais fresquinho, como os cenotes e snorkeling com as tartarugas.




















  •  Não seria perfeito conjugar essa viagem com Cozumel e fazer um mergulho? O lugar é bonito até debaixo d'água!




















  • Lógico que não poderia faltar a festança com as amigas, porque o lugar é pra lá de animado! 



  • Pra finalizar, que tal conhecer Isla Mujeres? O lugar é uma lindeza só!

Isla Mujeres




Já deu pra perceber que qualquer dos dois lugares será uma boa pedida, né!? É só escolher qual o destino que se enquadra melhor ao seu momento atual e boa viagem!!! Conta pra gente qual vocês escolheram :))) Vamos adorar saber!




 ROMA: quando ir, como chegar, onde ficar e onde comer?

Diz a lenda que ao jogar uma moeda na Fontana de Trevi o visitante retorna à capital da Itália. Será verdade? Comigo funcionou!!! 20 anos depois, voltei a me encantar com suas ruas, comidas, beleza e história. Era a primeira vez da minha dupla na cidade e eu, depois de tanto tempo, queria relembrar tudo que visitei com olhos de menina para descobrir uma nova Roma com olhos de mulher.


A viagem foi deliciosa e o clima natalino ajudou muito! É bem verdade que a aerolíneas argentinas não fez sua parte (NÃO recomendo de jeito nenhum) e tive que dormir uma noite em Buenos Aires, chegando com 12 horas de atraso na capital italiana :'( mas no final das contas, tudo deu certo e consegui passar dias maravilhosos com minha dupla.

A melhor época para visitar a cidade é em meados de maio ou setembro, para fugir do calor do verão e frio do inverno. Além disso, no período do verão europeu as filas dos pontos turísticos podem ser intermináveis. Nesta viagem, fizemos um pouco diferente, já que queríamos aproveitar o clima natalino e o recesso de final do ano, então, apostamos em Dezembro! Descobrimos uma cidade com dias ensolarados e clima frio. O casaco, luva, gorro, etc, continuam indispensáveis, mas nada insuportável. Em alguns momentos, de muita caminhada na parte da tarde, era possível até sentir calor em pleno inverno. A única coisa que não mudou com a estação do ano foi a fila!!!



Mas uma vez em Roma, como chegar do aeroporto até a Estação Termini e de lá partir para o hotel? Se você quer comodidade e está disposto a pagar mais caro por isso, saiba que o táxi custa em média 45 euros. Outra opção mais econômica é pegar o Leonardo Express, que já sai direto de dentro do aeroporto! Mas fiquem atentos aos horários, pois do Aeroporto Fiumicino a primeira partida é às 6:38h e a última às 23:38h. O trem parte de meia em meia hora e no horário de pico o intervalo cai para 15 min. Saindo da Estação Roma Termini em direção ao aeroporto, o primeiro horário é às 5:50h e o último às 22:50h. Esse transporte custa 14 euros, o trajeto dura 30 min e pode ser pago nas máquinas automáticas com cartão de crédito. A outra opção é pegar um ônibus executivo, que demora em torno de 1 h e é bem mais barato.

Essas são as empresas de ônibus que partem de lá e para lá:


COTRAL- O ponto final fica em frente ao Terminal 2 na área de chegada. Só seguir as placas que falam "Regional Bus Station". Custa 5 euros até a Roma Termini.
TERRAVISION – Os ônibus se concentram na saída do Terminal 3, área de chegada. Siga as placas "Bus Station". Custa 4 euros se comprar online.
SIT BUS SHUTTLE - Fica também na área de chegada do Terminal 3, mas custa 6 euros.
TAM Fiumicino Aeroporto - Também no mesmo lugar. Custa 5 euros, promoção por 4.

bilhete do ônibus

Agora, vou passar nossa experiência de viagem com relação a esse transporte. Meu vôo estava previsto para chegar na capital italiana às 16:30h, mas com o atraso acabei chegando às 03:30h e ainda por cima sem minha dupla, que viajou por outra cia aérea. Ou seja, imagina minha felicidade em passar por todo esse perrengue sozinha, sem saber se o Diogo recebeu minhas mensagens e ainda sabendo que todo o euro que havíamos trocado estava comigo!!!!!! 

Quando finalmente cheguei em Roma, o wifi do aeroporto não funcionava e eu não sabia se o Diogo havia conseguido ir para o hotel ou estava me aguardando (o vôo dele chegou às 18:30h). Além disso, pelo horário, simplesmente não tinha transporte para a Estação de Trem Roma Termini e eu não estava nem um pouco disposta a torrar meus primeiros 50 euros no táxi. 

Assim sendo, usei meu sexto sentido feminino e segui as plaquinhas em direção aos ônibus executivos que saem do aeroporto. Os guichês ficavam do lado de fora (num frio miserável, já que ainda era de madrugada) sendo que o primeiro que abriu, por volta de 4:00h, só saía às 5:00h! Como o trem só sairia às 06:38h, não tive dúvida em comprar o tícket do ônibus! Fique esperando no aeroporto quentinho, junto com os argentinos que vieram no meu vôo e estavam na mesma situação que eu. O ônibus saiu pontualmente e pra minha glória, tinha wifi!!!!!! Ehhhhhhh!!!! Conseguir falar com minha dupla e saber que estava tudo bem. Ele conseguiu trocar uns poucos dólares que tinha levado e passar o cartão para pegar o Leonardo Express, já me aguardava no hotel. 


Guichês

Ao chegar na Estação, comprei o tícket do metrô numa banca de jornal e segui para a Estação do Coliseu, próxima ao meu hotel. Conclusão, já eram 6:30h e só deu tempo de tomar um banho, descansar alguns minutos e sair para conhecer a cidade! Ufaaaaa! Pra quem escolher essa opção (ônibus+metrô), lembre-se que as estações de metrô possuem alguns lances de escada.

Onde ficar? Ficamos bem pertinho do Coliseu e da estação de metrô de mesmo nome, no Hotel Mercure Coliseu. Nas redondezas também fica o Fórum Romano, Palatino e o Monumento Vittoriano (dá pra fazer tudo a pé). O local era bem servido de transporte, porque além do metrô, também tinha ponto de ônibus e bonde próximos ao hotel. 

Saída do Metrô na Estação Coliseu


Perto ao Coliseu tem alguns restaurantes, mas o lugar pareceu um pouco deserto a noite, apesar de não termos nos sentidos inseguros. Normalmente, a indicação de hospedagem em Roma é próximo à Piazza Navona  e Piazza Di Spagna, que é onde tem o burburinho de turistas de dia e de noite, mas não achamos uma má ideia ficar um pouco mais afastado, mas com fácil acesso por meios de transporte. O preço ficou mais em conta e de quebra ainda ganhamos uma linda vista do Coliseu!

Muitas pessoas dizem que em Roma o bom mesmo é fazer tudo a pé e não deixa de ser uma verdade, mas eu e minha dupla aproveitamos muito o transporte público. Andar cansa, né?!? rsrsrsr E às vezes pra economizar tempo e nossos pezinhos era uma mão na roda! Achamos muito fácil nos locomover por lá. O mêtro não tem uma linha muito extensa, mas consegue chegar a alguns pontos turístico. Pra facilitar, eles já colocam o nome do ponto turístico ao lado da estação. Funciona de 05:30h às 23:30h e aos sábados até 00:30h.  Na linha A, próximo à estação Spagna, pode-se chegar caminhando ao Pantheon, Piazza Navona e Fontana di Trevi. O Museu do Vaticano, Basílica de São Pedro, Capela Sistina e Castelo Sant'Angello também possuem estações próximas. Na linha B, fica o Coliseu, Fórum Romano, Palatino, Monumento Vittoriano e Museu do Capitólio.



As linhas de ônibus e bonde também não têm mistério. É possível ver o itinerário dos ônibus no próprio ponto e tem sempre algum que pára próximo a algum ponto turístico ou a uma estação de tro. Só fiquem atentos ao sentido que o ônibus está indo. O ponto que você está estará marcado com uma cor diferente ou envolvido de forma a destacá-lo.

Uma coisa que nos ajudou muito e nos fez economizar um bom dinheirinho foi o Roma Pass, ele dá direito a visitar os dois primeiros museus de forma gratuita, usar o transporte público de forma ilimitada e ainda tem filas diferenciadas para quem possui o tícket, o que faz economizar um bom tempo. Achei ele imprescindível! Compramos o de 36 euros, que era válido para 3 dias. Entramos no Coliseu (12 euros), no Museu do Capitólio  (15 euros) e usamos muito o transporte (1,50 euros e vale por 100 minutos) todos os dias. Então valeu muito a pena nossa economia! O Tícket pode ser comprado online (tem vários pontos  de troca). O nosso, com essa confusão da minha chegada pelo atraso de vôo, compramos numa banca de jornal, dentro da estação de metrô.

Agora, falar da Itália e não falar de comida é quase uma heresia rs Então....vamos ao que interessa, onde comer? Na correria da viagem, nem sempre conseguimos parar para desfrutar bons restaurantes. Normalmente, a gente faz uma lista enorme de lugares indicados pelos amigos blogueiros ou de sites, mas na hora H a gente acaba descobrindo novos lugares e abandona a lista. Dessa vez, tentamos achar alguns dos restaurantes indicados e chegar a nossa ppria conclusão.

Como a nossa diária não oferecia café da manhã, comíamos na rua mesmo, o que não era nenhum sacrifício, né?!? Quem nunca comeu a pizza do dia seguinte no café da manhã? rsrsrrs E se a pizza for fresquinha, quentinha e legitimamente italiana? Vale a pena, né?!? Então, por duas vezes nosso café da manhã foi a pizza dessa lanchonete próxima à Piazza San Pietro, na Via della Conciliazione. Aliás, nessa rua tem vários cafés e lojinhas de souvenirs! A pizza é vendida a quilo. Eles cortam um pedaço em formato quadrado, pesam e esquentam na hora (+- 3,50 euros). Se você é chegado num café da manhã mais tradicional, que tal uma pizza de lanche? 

Pizza Romana

Onde comíamos nossa pizza de café da manhã
café ao lado da pizza

Se você estiver passando perto da Fontana di Trevi  e a fome apertar tem um restaurante chamado Al Picchio, na Via del Lavatore, 39-40 que tem um clima bem agradável e oferece pratos mais em conta, pela localização que tem. Pedi uma lasanha bolonhesa (9 euros) e o Diogo um nhoque de 4 queijos (10 euros). Não é uma culinária excepcional, mas quebra um galho! No começo da mesma rua tem uma sorveteria que pode ser uma boa pedida para a sobremesa :)



Agora, se sua fome não tem limite, existe um restaurante que fica no Palazzo delle Esposizioni (museu com grandes obras de arte) chamado Open Colonna. Ele possui uma estrela Michelin, tem o teto de vidro, decoração de orquídeas e custa 16 euros para comer no estilo "eat as much you can", ou seja, buffet de comida e doces liberados. Fica na Via nazionale, 194. A entrada direta para o restaurante fica na rua lateral do Museu, subindo uma escada próxima a um túnel. A comida é gostosa, mas achei que valeu mais pela quantidade do que pela qualidade, afinal, pensando bem, com esse valor poderíamos fazer 2 refeições, já que a comida italiana não é muito cara. O ambiente clean e o cardápio preparado por um chef são o diferencial, então, se você quiser comer sem limite, esse é o lugar! Só não pense que você vai fazer um prato de pedreiro, porque a comida é leve e deve ser apreciada em muitas pequenas porções.




















O Da Fabrizio fica na região de trastevere na Via Santa Dorotea,10 (perto da piazza trilussa).  Aberto todos os dias menos às quartas, 12:30h às 15:00 h e 19:30h às 23:00 h. A região por si só já é um charme à parte. O restaurante é simples for fora e caloroso por dentro. Quando fomos, entrou uma dupla de de cantores que animou o ambiente. Comemos fettuccini com bochecha de porco  e rigatoni ao molho de trufa negra e cogumelos (16 euros). O rigatoni estava FANTÁSTICO, já o fettuccini não achei grandes coisas, mas o Diogo gostou. O preço é um pouco mais caro do que os restaurantes  próximos, mas achei que estava tão gostoso que valeu a pena! Não deixem de dar uma volta na região, tem vários restaurantes por lá. Pra finalizar, a sobremesa foi sorvete, lógico, né?!? Mas preferimos comer em uma sorveteria artesanal da região que estava sempre cheia. 

Fettuccini de bochecha de porco
Da Fabrizio

Rigatoni ao molho de trufa negra e cogumelos
Sorveteria

Pra terminar, fomos no EATALY, que é um grande mercado nos moldes do que existe em São Paulo e Nova York, lá degustamos vários produtos locais, compramos alguns, obviamente rsrsr e íamos jantar lá, mas os restaurantes abriam mais tarde, então fizemos um lanche. Não sei se a comida dos restaurantes de lá é gostosa, mas o ambiente parece de uma praça de alimentação, então se você quer uma coisa mais intimista, lá não é o lugar! Funciona de 10h até meia-noite. Pra chegar, basta seguir a propaganda maciça do metrô (Metro B - Piramide).

Indicação no mêtro

Eataly




















Menu


Duplas queridas, esse post acabou saindo maior do que eu esperava, porque é muita informação e muitas dicas que separamos pra postar pra vocês. Então, decidi fazer um outro post só com o roteiro dos 4 dias que passamos por lá. Aguardem que muito em breve vou publicar:  O que fazer em Roma?






Tailândia - o que você precisa saber?


Nossos seguidores que acompanham o facebook e instagram sabem que passamos dias maravilhosos em nossa última viagem. Foram 18 dias viajando para Tailândia e Camboja e descobrindo um roteiro cheio de encantos. Com certeza quem viu as fotos ficou com muuuuuuita vontade de reservar esse destino para as próximas férias!

Grand Palace - Bangkok


A Tailândia é um roteiro cada vez mais em alta e não é para menos! Um país riquíssimo em belezas naturais, abundante em diversidade cultural e ainda muito barato para os brasileiros! No primeiro post da série, escolhi falar sobre as dicas em gerais, indispensáveis pra organizar uma boa viagem pra lá. Tenho certeza que vai ficar muito fácil montar a viagem depois de ler esse post. 

Lógico que vou dar várias dicas de como tornar a sua trip ainda mais barata, mas sem perder o conforto, né?!? Achei legal abordar esse tema logo no começo, porque muitas pessoas se assustam com uma viagem pro continente asiático e acham que vai ser uma dificuldade chegar do outro lado do mundo ou que vai ser uma viagem caríssima, ledo engano, minhas duplas queridas! É possível, sim, viajar por conta própria para o Oriente e ainda gastar pouco (pelo menos, menos do que se imagina).

A organização é a base de qualquer viagem. Uma viagem bem organizada é a garantia de 70% que sua viagem vai dar certo! E pra montar o roteiro, nada melhor do que começar definindo quantos dias são necessários pra ficar por lá! Diria que o mínimo é de 15 dias, menos que isso, sugiro escolher outro roteiro! Duplas, pra chegar lá do outro lado do mundo demoooooora muuuuuuito tempo, a passagem nem sempre é barata, então não rola passar pouco tempo. Além disso, é tão lindo, mas tão lindo, que no melhor da festa vocês estariam indo embora. Vai por mim, não compensa!

É bom levar em consideração que será 1 dia e meio de deslocamento aéreo na ida e na volta e que possivelmente o cansaço vai pesar com o fuso, então procurem fazer um roteiro levando em consideração tudo isso.

Falando em vôo, não existe transporte aéreo direto para a Tailândia. Algumas das opções é viajar pelas empresas: Emirates, com conexão em Dubai; Quatar Airways, com conexão em Doha e as mais conhecidas dos brasileiros, KLM, Airfrance e British Airways. Como os vôos são longos, vale a pena conferir a política da empresa de stop over (ficar 1 ou 2 dias na cidade de conexão) ou ainda hospedagem na cidade de conexão, quando o tempo no local até o próximo vôo é bem demorado.

Fomos de Qatar Airways, saindo de São Paulo, por meio do programa de milhas smiles. As passagens pra Ásia costumam ser bem caras, então, a forma, sem dúvida, mais barata de viajar pra lá é por meio de milhas. Dificilmente vocês conseguirão uma passagem pra Tailândia por menos de R$3.000,00 (isso em promoção). O smiles, quando compramos, estava cobrando 50.000 milhas o trecho. Hoje em dia, não acho por menos de 80 mil milhas. Então, fiquem atentos às promoções! Escolham a data de viagem e façam pesquisas diárias, uma hora vocês conseguem.

Para acumular milhas, além dos meios mais clássicos, como transferência dos pontos do cartão de crédito e programas de fidelidade das empresas parceiras, acompanhem as promoções da própria rede de milhas. Este ano mesmo, anunciei aqui uma promoção bem vantajosa do smiles, que inclusive foi a utilizada pra conseguirmos as milhas restantes para a nossa viagem. A cada milha transferida para o amigo por R$ 0,03, vc recebia milhas em dobro, totalizando 200%.

Assim, o Diogo me transferiu 40 mil milhas por R$ 1.200,00, recebeu 80 mil milhas (as 40 mil de volta + 40 mil) e eu recebi 40 mil. Fiz o mesmo esquema com meu pai, transferi 40 mil pra ele e recebi 80 mil. No total, fiquei com 120 mil milhas (40+80) e utilizei 50 mil para comprar cada trecho pagando apenas R$1.200,00 (como cada um recebia 40 mil milhas por transferência, dividimos o valor em reais por dois, então cada transferência custou R$600,00, deu pra entender?). Conclusão: R$1.200,00 + tx de embarque = passagem ridiculamente barata!

Agora que vocês já viram que é possível viajar pra Tailândia sem gastar muito com passagem aérea, vamos à melhor época para encarar aquele paraíso! A estação na Tailândia é dividida em 2: o período das chuvas que vai de maio a outubro e o período da seca que vai de novembro a abril, sendo mais recomendado ir no período de novembro a fevereiro, em que as temperaturas estão mais amenas.

Maya Bay - A praia

Contrariando todas as informações, escolhemos ir em outubro. E muitos podem pensar, são loucos! Ir no período das monções?!? Pois é, mas levamos em consideração que o clima está completamente maluco no mundo inteiro e assim como no Rio de Janeiro nem sempre está frio no inverno, nem as águas de março fecham o verão, resolvemos arriscar e pagar pra ver! Até porque, São Pedro não saberia diferenciar o que seria final de outubro ou começo de novermbro, saberia?

Vou confessar que muitas horas fiquei tensa de estar indo no período das monções, principalmente quando descobri que em Koh Samui o clima é diferente e, na verdade, as monções estão começando nesse período. Bom, mas a passagem já estava comprada e só nos restava esperar pra ver. Já pensava nas chuvas e mar agitado que nos esperariam, mas confiei que tudo daria certo! E deu! :))) ehhhhh!!! Tenho certeza que esse relato vai acalmar muitos corações desesperados por saber se é possível ir fora de temporada!

Se pegamos chuvas? Sim! Mas foram suficientes para atrapalhar a viagem? Não! Definitivamente, não! E vou dizer mais, algumas nuvens que apareceram ao longo da viagem ajudaram muito a diminuir o calor! Um céu completamente azulado com aquele calor absurdo não é facil de aguentar! Graças à Deus tudo ocorreu bem, pegamos uma chuva forte em Chiang Mai na parte da noite, mas estávamos cobertos numa feirinha local e não chegou a atrapalhar. As chuvas são como as nossas de verão, ou como as da região amazônica, pesadas e rápidas. Na região das praias, só pegamos chuva em Koh Samui e diria que foi o único ponto da viagem em que a chuva atrapalhou, pois desanimamos de conhecer Koh Tao. Também chegou a chover uma noite em Bangkok, já no final da viagem, quando retornávamos para passar o último dia. A chuva também foi rápida e forte, a ponto de alagar algumas ruas e causar um pouco de trânsito, mas não a ponto de atrapalhar nosso roteiro, pois estávamos indo para o hotel dormir. Em todos os outros dias da viagem, muito sol e calor! Aliás, calor, muito calor, todos os dias!

Falando em sol, levem roupas frescas, porque lá é muito úmido e muito quente. Não se preocupem em levar muitas roupas, as lavanderias cobram aproximadamente 4 reais para 1Kg de roupa! As empresas aéreas que fazem os vôos internos, como a Bangkok Airways e Air Asia cobram pelo peso extra, então todas as passagens internas foram compradas pagando-se a mais para levar uma mala de 20kg. As empresas não são muito rigorosas, mas é bom não exagerar! A BKK Airways foi a única que vimos exigindo o limite, mesmo assim, era possível levar até 20,9kg que eles não reclamavam.

Levem protetor solar e repelente de mosquito. É fato que vocês irão precisar! Além de todos os itens que a gente listou aqui no blog ver lista. Leitura obrigatória na hora de arrumar a mala ;)

Outra dica preciosa é a escolha dos lugares que vocês querem visitar. Só dá pra saber quantos dias passar num país se vocês tiverem um mínimo de ideia do que querem ver por lá. A não ser que vocês já tenham uma data pré definida e aí não tem jeito, vão ter que cortar algumas cidades.

O que não falta é lugar interessante na Tailândia pra conhecer, mas em viagem nunca dá pra ver tudo (o que é sempre um motivo pra acabar voltando, né?! rs). Então vamos listar aqui os imperdíveis e quanto dias passar nesses lugares:

1- Bangkok: Impossível não visitar a capital da Tailândia. É lá que vocês vão encontrar grandes templos e, provavelmente, será sua porta de entrada e saída do país. Reserve no mínimo 3 dias para a cidade.

Buda deitado



2- Ayutthaya:Vocês podem fazer um bate e volta para a cidade saindo de Bangkok ou, ainda, seguir caminho para Chiang Mai, já que fica no meio da rota. Cheia de templos e ruínas, foi capital do Reino de Sião.


3- Chiang Mai: Uma cidade arborizada e bem diferente das duas anteriores. Achamos muito bonitinha! É lá que, além de templos lindíssimos, é possível andar de elefante, visitar os tigres e conhecer as mulheres girafas. Dois dias é suficiente, caso não queiram passar o dia inteiro com os elefantes. Se quiserem e tiverem tempo, acrescentem mais um dia para ir a Chiang Rai, conhecer o templo branco e o triângulo dourado.



4- Praias: Reservem alguns dias para conhecer as belezas naturais da Tailândia visitando algumas praias e ilhas. Os principais destinos são Krabi, Phuket e Koh Phi Phi, onde é possível visitar Maya Bay, cenário do filme A Praia, com Leonardo de Caprio. Do outro lado da área continental é possível visitar Koh Samui, Koh Tao e Koh Phangan, que é onde acontece a Full Moon Party (festa da lua cheia). A quantidade de dias em cada lugar, vai depender do gosto de vocês por praia, que é a principal atração desses lugares. Não ficaria menos de 6 dias, a não ser que tenham pouco tempo, mas aí escolheria o lado de Koh Phi Phi e abriria mão de conhecer a ilha de Samui e vizinhas.

Phra nang Beach


Quanto à locomoção interna entre as cidades, optamos por fazer de avião, pois economizaríamos tempo e as passagens não estavam tão caras (as viagens duram em média 1 hora e custam em torno de R$ 300,00 já incluída a taxa de bagagem). O bate volta para Auytthaya fizemos a ida de trem e a volta de van. Nas cidades, nosso principal transporte era o Tuk tuk ou o táxi e tinham que ser barganhados, sempre levando em consideração o número de pessoas. Tente fazer com que ele cobre pelo taxímetro, sai sempre mais barato, desde que o motorista saiba realmente para onde está te levando.

A moeda é o Bath Tailandês e as casas de câmbio são facilmente encontradas. A melhor cotação encontramos em Koh Samui, mas não tinha uma diferença muito grande.

É difícil encontrar alguém que fale um bom inglês, mesmo em Bangkok. Porém, isso só nos criou dificuldade na hora de pegar o táxi. Falando em táxi, cuidado com eles, muitas vezes não sabem para onde estão te levando, te deixam em outro lugar que não foi o pedido ou te levam para algum lugar para ganhar comissão do restaurante ou loja, mas isso tem em qualquer lugar do mundo.

Uma dica de um lugar que deixou saudade em nossos corações (rsrsrrs) foi o seven eleven, loja de conveniência que existe em cada esquina e que foi muuuuuuuuito frequentada nessa viagem! Era lá que tomávamos café quando não estava incluído no nosso hotel (e vale a pena, heim ?!? A média do preço de café da manhã nos hotéis é de R$ 25,00, enquanto que na loja de conveniência, se pagava muito menos por um bom café da manhã, menos de R$5,00 ). Era nossa loja preferida pra descansar entre um templo e outro e, lógico, sempre aproveitávamos pra fazer um lanchinho. Um sorvete corneto custava apenas R$ 2,50 o que aqui no Brasil é o preço de um frutare. Além disso, lá vende um dos presentinhos mais baratos: o balm de massagem. Comprei o meu por apenas R$ 2,50. E também outros produtos interessantes como cremes de beleza e demais cosméticos. Comprei shampoos de marcas conhecidas, em embalagem de viagem, o que é difícil de achar aqui no Brasil.

Quanto gastar? Em uma viagem de 16 dias na Tailândia e Camboja, já tirando o dia de ida e volta, gastei aproximadamente $1.000,00 (mil dólares) com alimentação, passeios, tickets e souvenirs. As passagens aéreas internas (6 vôos) totalizaram aproximadamente R$2.000,00 e os hotéis custaram mais ou menos R$1.500,00. Esses preços foram por pessoa, em quarto duplo e com refeições de leve a moderada, o que significa dizer que muitas vezes optávamos por lanches ao invés de refeições em restaurantes, mas saibam que não é difícil achar pratos de R$20,00 a 30,00.

Por fim, o bizu vai para os trajes. Como são muitos templos pra serem visitados toda atenção com a  roupa é importante. Os ombros e joelhos devem ser cobertos e os sapatos devem ser retirados ao entrar nos templos (nunca vi pisos tão limpos) na maior parte é possível cobrir os ombros com um lenço. Os homens conseguem entrar com bermuda na altura do joelho. Como o calor é muito grande, vale a pena ir de short e colocar um lenço simulando uma saia na altura do joelho só pra entrar no templo.No entanto, no Grand Palace, em Bangkok, eles foram beeeeeem exigentes e nos obrigaram a comprar uma blusa de manga para entrar e olha que fomos insistentes, tentamos de todos os jeitos transformar a pashimina em blusa, mas não rolou! Quanto aos sapatos, calce algo que seja fácil de tirar e colocar, vale até havaianas.

Acho que essas são as principais dicas gerais da viagem pra Tailândia (que também podem ser aproveitadas pra Camboja), as demais vou passar quando escrever o roteiro das cidades pra vocês. Se tiverem alguma dúvida, deixem seu comentário aqui. Espero que tenham gostado!




VENEZA

Duplas queridas,

Desculpem  a ausência....esse post já estava no forno faz um tempinho, mas tava atualizando as informações pra vocês, afinal, essa viagem foi feita em 2009 e de lá pra cá algumas coisas mudaram! Começo o destino de hoje com um poema, que talvez não seja rico em técnica, mas é rico na percepção dessa cidade cheia de encantos.

Veneza

Ver teu mar
e se encantar
o pôr-do-sol, a fascinar.

Veneziar e descobrir
o que nas ruelas está por vir
Direita, esquerda, onde virar?
não importa aonde, em cada canto

o sol se põe e o laranjar
colore o céu com todo encanto.
A lua nasce e nesse encontro
a brisa bate pra emoldurar

A ponte ao longe anuncia
um suspiro, um certo amar
O sol nasce novamente
e não se cansa de brilhar.

Veneza é um lugar único no mundo, seu romantismo vem de todo o fascínio causado por suas ruelas, seus canais, passeios de gôndola, máscaras de carnaval espalhas pelas ruas, que conferem um ar de fantasia ao local. É como se tudo fosse mágico! Difícil imaginar que existem moradores vivendo naquelas ilhas, trafegando por aqueles canais rumo ao trabalho.

'camelô' com máscaras de carnaval

Cada ruela e ponte traz uma surpresa

Piazza San Marco e uma gôndola ao fundo



Veneza e seus canais






























Fomos em setembro e pegamos dias ensolarados. Não esqueço do brilho do sol batendo em suas águas e a brisa da manhã refrescando nossos passeios. Se vocês estiverem por lá no primeiro domingo de setembro, poderão acompanhar a regata das gôndolas. É lindo ver as gôndolas, com todo o seu colorido, enfeitando os canais de Veneza. Um encanto à parte que só quem vai nesse período consegue desfrutar. O lado ruim é que os vaporettos deixam de circular enquanto acontece a competição e você acaba ficando, literalmente, ilhado! Mesmo assim dá pra curtir bastante, caminhando pelas ruelas.



acervo pessoal - regata de gôndolas

Outro período interessante para visitar a cidade é o carnaval! Veneza tem um dos carnavais mais famosos e antigos do mundo, mas vá preparado para o frio, a temperatura é bem baixa nessa época do ano para nós brasileiros! Durante a festa, a piazza San Marco fica cheia de mascarados. A programação completa pode ser vista clicando aqui e conta com atrações como o vôo do Anjo, a escolha de Maria (tipo a rainha da festa) e o cortejo aquático. Além disso, existem bailes de máscara! Imagina participar de um baile de máscara? Me sentiria a própria Julieta rsrsrs

acervo da internet

acervo da internet



























Veneza é conhecida por estar afundando. Em determinadas épocas do ano a cidade sofre com alagamentos e mau cheiro. Então, qual o melhor momento para conhecer Veneza? O clima normalmente é agradável na região, devendo ser evitado entre novembro e janeiro, por ser maior a probabilidade da acqua alta (enchentes), além do frio e neve que tomam conta do lugar. Agosto também não é recomendado, por ser o mês oficial do turismo na Europa (esse título é por minha conta rsrs), as cidades turísticas, como Veneza, de um modo geral, ficam cheias e com muitas filas. Fui no começo de Setembro e não me arrependi, o clima estava ótimo, com dias ensolarados. Muitos turistas na rua, é verdade, mas nada que tornasse o lugar insuportável.

Pôr-do-sol visto do vaporetto com a piazza San Marco ao fundo

Nos hospedamos em um quarto privativo no Ostello Santa Fosca, um antigo convento, administrado por jovens. O quarto tinha um pé direito alto, com 2 camas de solteiro. Tivemos problemas em conseguir toalhas, que eram alugadas no local. Na primeira noite, improvisamos um "banho de gato" e nos secamos com o papel higiênico, que era uma espécie de papel toalha, bem absorvente. Foi o jeito, né ?!? Melhor do que ficar sem banho depois de um dia de caminhada! Tirando esse contratempo, o hostel ficava próximo à estação de trem e atendeu bem as 3 noites que passamos na cidade. Esse albergue fica na região de cannaregio e como já disse é onde fica a estação de trem Santa Lucia, o que facilitou bastante a nossa vida, já que nosso trem partia bem cedo.


quarto duplo do Hostel

Entrada do antigo convento transformado em hostel

Café da manhã na escada da estação S. Lucia



















Ponte em frente à estação S. Lucia - reparem nas escadas






















Se vocês não estiverem economizando, podem se hospedar no bairro de San Marco, que é onde ficam os principais pontos turísticos da cidade. Lembrem-se apenas que não existe carro nas ilhas e o transporte é feito todo a pé ou por barcos (vaporettos). Levem isso em consideração na hora que forem escolher o hotel. Ahhhh e peguem as instruções de como chegar nele também. Ir a Veneza e não se perder é como ir a Paris e não ver a torre Eiffel.




Como não se perder em Veneza ??? Dupla de viagem: Vanessa Barbosa

Falando em transporte, a melhor opção é comprar o passe para os museus e para o transporte público no site. Atualmente, o touristic city pass, para maiores de 30 anos, custa 39 euros e inclui a entrada em alguns museus e igrejas, com até 20% de desconto e duração de 7 dias. Já o cartão para o transporte, custa 20 euros, para 1 dia e 30 euros, para 2 dias. No site é possível ver outras opções.

É possível chegar em Veneza de avião. O aeroporto Marco Polo fica em Mestre (bairro ligado ao continente) e de lá vocês precisarão pegar um transporte para o centro histórico de Veneza, que pode ser aquático, por meio dos vaporettos e táxis aquáticos (a viagem é mais demorada) ou terrestre, por meio dos shuttles e ônibus comuns.

A forma, na minha opinião, mais fácil de chegar em Veneza é por meio do trem. Vocês devem desembarcar na estação Santa Lucia. Em frente a ela, vocês verão o grande canal e um "ponto" de vaporetto, dali vocês poderão seguir as coordenadas até encontrar o hotel, seja a pé ou pegando um desses barcos.
As informações turísticas podem ser obtidas na própria estação de trem e os principais pontos turísticos são:

1) Piazza San Marco – tem a Basilica di San Marco (grátis. Seg a Sab-9.45h a 17h e dom. 14h a 16h), dentro dela está o Tesoro della Basílica (3 euros) e atrás do altar principal a Palla d’Oro . Na mesma praça tem o  Campanário (=Campanile)  (ter a dom: 9h as 19h). 8 euros adulto, 4 estudante. Ótimo ponto para ter uma vista da cidade  e a Torre dell’Orologio (sec.XV), que mostra mostra não somente as horas, mas também as fases da lua, o movimento do sol e as constelações do zodíaco. Ele toca de hora em hora e é uma atração à parte.











2)  Palazzo Ducale – ao lado da Basílica. 8:30h as 18h. 16 euros adulto, 8 euros entre 15 e 25 anos e rolling venice card. É por esse palácio que se atravessa a ponte dos suspiros, que tem esse nome não por uma conotação romântica, mas sim por se tratar do último suspiro que os condenados davam antes da sua execução, já que tinham que passar por ela obrigatoriamente e de lá podiam enxergar um pouco da cidade.




vista da Ponte dos Suspiros





3)    O Grande canal pode ser atravessado por 4 pontes: Rialto data do ano de 1588, é a mais importante e antiga delas; Accademia construída originalmente em metal; da Constituição e dos Descalços, que fica em frente à Estação de trem.

4)  Galleriadell’Accademia di Veneziaao lado da ponte Accademia. (ter/dom 8:15h às 18:50h) Contém a maior coleção de arte veneziana. Preço: 6,50 euros; 3,25 para jovens europeus entre 18 e 25 anos e gratuita para menores de 18 e maiores de 65 anos.

5)FondazionePeggy Guggenheim – Fica no palazzo Venier dei Leoni, onde a Peggy Guggenheim viveu,  Fondamenta Venier dei Leoni 710, Dorsoduro. 10h-18h. Preço: Adultos: €15; idosos com mais de 65 anos €12, estudantes com menos de 26 anos e carteira de estudante  €9, crianças com menos de 10 anos gratuito. Os tíckets podem ser comprados online e mesmo que já tenham esgotado é possível comprá-los no local.

6) Ilha de Murano (vaporetto 12, 41,42), Museo Del Vetro (10h-17h) preço: 10,50 euros ou 8 euros para estudantes e idosos. Sinceramente, não achei que esse museu valeu a pena. Acho mais interessante visitar uma fábrica de vidro e suas lojinhas com cada coisa mais linda que a outra.




DICAS:

>> Cuidado com as malas, se possível, leve pouca roupa. É bem provável que vocês tenham que andar alguns minutos com ela. Lembrem-se que mesmo que seu hotel fique a apenas 5 minutos a pé da estação de trem, carregando mala (mesmo com rodinha) parecerá uma eternidade. Além disso, as pontes têm escada. Existe a possibilidade de deixar a mala principal na estação pelo valor de 13,50 euros a diária (tem funcionários de 6 às 23h) e levar apenas uma mochila com o necessário para o hotel.

>> Peguem as instruções de como chegar no hotel, de preferência com o mapa. Ainda assim, é possível que se percam (faz parte).

>> A focaccia da estação de trem é muito boa, da pra tomar um bom café da manhã por lá.

>> O blog do viaje na viagem, que sou fã, traz excelentes dicas de como se locomover em Veneza clique aqui

>> 3 dias é tempo suficiente para aproveitar e conhecer a cidade, com calma você consegue visitar os principais pontos turísticos citados aqui no blog, curtir um jantar/almoço, sentar e apreciar o pôr-do-sol e se perder pelas ruelas de Veneza.



A gente anda o dia inteiro e vai encontrando igrejas maravilhosas como essa da foto, cafés ao longo dos canais, restaurantes, museus e muitas paisagens.

Ao final do dia, as luzes se acendem e a vista do canal continua linda. Ao longo dos canais vocês podem sentar nos restaurantes e apreciar uma boa culinária italiana! Manja que te fa bene

É isso, duplas!!! Espero que tenham gostado e não deixem de incluir Veneza em sua próxima viagem ! Vocês não vão se arrepender! Se gostaram é só curtir e compartilhar :)))




MIlão

Duplas queridas,

Seu pedido é uma ordem! Os próximos posts serão sobre a Europa, levando em conta um roteiro usado no meu primeiro mochilão: Milão > Veneza > Innsbruck > Salzburg > Viena > Budapeste > Praga > Munique (oktoberfest) > Zurich > Berna > Genebra > Milão.

Vamos começar nosso tour na Europa pela Itália, terra da comida farta, do falar com as mãos, do futebol, do clima quente e de tantas outras coisas que tornam esse país um dos principais destinos turísticos do mundo, mais precisamente de Milão.

Milão é uma cidade cosmopolita, que recebe vários estrangeiros a trabalho e tem, aproximadamente, 14% de sua população composta por pessoas de fora. Talvez, por isso, o mês de agosto é praticamente deserto na região. A cidade tira "férias coletiva" e não é difícil encontrar um bilhete na porta dos bares e restaurantes avisando do recesso. Programe sua visita pra outro período!

Nosso mochilão começou e terminou por Milão, pois foi a cidade que encontramos a passagem aérea mais barata, dentro da proposta do nosso roteiro, mas não sei se isso necessariamente é uma regra.

Não é preciso reservar muitos dias para conhecer a cidade, em um dia é possível visitar a maior parte dos pontos turísticos, que ficam próximos um dos outros. 

Ao chegarmos no aeroporto, pegamos um ônibus até a milano centrale (estação de trem). Compramos o ticket no próprio aeroporto. O site com mais informações do shuttle é o clique aqui. A passagem, atualmente, custa 10 euros e o passe de ida e volta 16 euros. 

Chegada no aeroporto, próximo à saída do shuttle


Nos hospedamos no Hotel Brasil. Lembro que na época foi difícil achar disponibilidade de hotel e acabamos optando por esse. É um prédio com elevador antigo, mas com quartos bem grandes. Pegamos uma suíte. O café da manhã é do tipo self service, com máquina de café, alguns biscoitos, cereais, nada demais... Um dos recepcionistas arranhava um português. Não é um hotel maravilhoso, mas dá pra quebrar o galho por uma noite. Pra chegar no hotel, pegamos o ônibus 92, próximo à estação central.

No mesmo dia, pegamos o ônibus 60, que nos deixou no San Babila, próximo à piazza Duomo, onde fica a catedral. Uma das entradas da galeria Vittorio Emanuele (dar 3 voltas ao redor do touro - dizem que traz fertilidade) também fica nessa praça e ao final da galeria saímos na praça do Teatro Scala (7 euros inteira, 5 euros para grupo). Como já passava das 18hs, estava tudo fechado, então jantamos na rua lateral da catedral, em um daqueles restaurantes/cafés, com mesas do lado de fora.


Duomo a noite

Restaurante na rua lateral do Duomo

Galeria Vittorio Emanuele
Ficamos na rua até umas 21hs e como não encontramos local para comprar o bilhete, pegamos o ônibus de volta "di gratis" (Fiquem atentos para comprar o ticket com antecedência, demos sorte de não ter tido fiscalização)

No dia seguinte, o relógio não despertou e acabamos acordando às 8:10, naquela correria pra tomar o café da manhã e ir pra rua, queríamos aproveitar o dia inteiro pra conhecer tudo, afinal, só tínhamos aquele dia em Milão!

Quase me barraram no Duomo, porque estava de camiseta (Tomem cuidado com a roupa ao entrar em templos religiosos em toda parte do mundo, ou leve sempre um lenço que possa cobrir os ombros). Em volta da catedral é possível fazer um tour a pé pela galeria Vittorio Emanuele, conhecer o teatro scala e seguir até o Castelo Sforzesco, com entrada gratuita e muitas obras expostas.


Duomo de dia

Dentro do Teatro alla Scala di Milano

Praça entre a galeria e o teatro com o monumento de Da Vinci
Castelo Sforzesco


Dentro do castelo
Dali, pegamos um metro até o Cenacolo Vinciano, onde é possível ver a "Última Ceia" pintada por Da Vinci, entre 1494 e 1498. Não compramos o ingresso com antecedência, mas recomendo fazê-lo. Demos sorte de chegar lá e encontrar ingressos disponíveis. A visita dura 15 minutos e só admite 30 pessoas por visita (8 euros- inteira, 4,75 euros entre 18 e 25 anos). É possível comprar o ticket online no link (só clicar em cima do cenacolo vinciano).

Entramos na igreja Maria das Graças e fomos até o Museu Nacional de Ciência e Tecnologia Leonardo da Vinci que fecha às segundas e abre de 9:30 às 19:30 nos outros dias, exceto aos sábados, que vai até às 21h. Tem visitas guiadas de 10h até 45 min antes de fechar. Custa 10 euros inteira e 7,50 para menores de 25 anos. Conta com várias invenções e é muito interessante.


Acervo da internet - a última ceia


Igreja Santa Maria das Graças (onde fica a Última ceia)


dentro do Museu de ciência e tecnologia

ainda dentro do museu

Voltamos para o Hotel no bus 60, na piazza San Babila, para pegar a mochila e sair correndo, porque já estávamos atrasadas para pegar o trem rumo a Veneza. Dito e feito, perdemos o trem, mas nos informaram que era só pegar o próximo (às 19h) e pagar 8 euros de diferença.

Conclusão: Milão é uma cidade fácil de conhecer. A grande parte dos passeios pode ser feita a pé, ou pegando algum transporte público. 1 dia foi suficiente para conhecer tudo, mas se vocês pretendem assistir a um jogo de futebol ou um ballet/ópera, recomendo dormir mais uma noite. Pra quem gosta de moda e tem dinheiro para gastar nas caríssimas lojas, se jogue no quadrilátero de Ouro, entre as vias Montenapoleone, della Spiga, Manzoni e Corso Venezia!

Informações úteis:

Polícia: 112 a cobrar 800172211
Bombeiros: 115
Consulado brasileiro: Corso Europa, 12 f - 20122 tel +39 02 777107 Plantão +39 3357278117
Informações Turísticas: Piazza Del Duomo, 19/a, subsolo 8:45 -13h, 14-18h; Stazione centrale 8-19h
Opções de passeio em/a partir de Milão: site

Nossa próxima cidade será Veneza e eu já estou ansiosa para começar a escrever. Simplesmente amei aquela cidade! Seus canais, suas ruelas e o clima gostoso da cidade me deixaram apaixonada! Com certeza é uma cidade para voltar mais vezes (da próxima vez, num clima mais romântico, para fazer um passeio de gôndola). Aguardem e não vão se arrepender!

Se gostaram desse post é só curtir! Se ficou alguma dúvida é só comentar :)


Europa - a primeira vez a gente nunca esquece

Olá, duplas!!!!!

Atendendo a pedidos (FB e Insta), hoje vou escrever sobre a MAIS QUERIDINHA de todos os viajantes, a EUROPA!!!! Foi o meu primeiro amor! Começou bem cedo, quando eu ainda tinha 12 anos e fui morar na Alemanha. Foram 6 meses maravilhosos, de viagem, enriquecimento cultural, descobertas e uma experiência marcante, que ficou na minha memória pra sempre.

E tem como não se apaixonar?!? É o berço da civilização, com castelos medievais, jardins exuberantes, obras de arte, inúmeras exposições, entre outros atrativos, que tornam o velho continente um lugar APAIXONANTE! Como não se encantar com a cor do mar mediterrâneo, o calor dos espanhóis, o charme da França, a familiaridade de Portugal, as tulipas da Holanda, os chocolates belgas, as salsichas alemães, as construções do leste Europeu, enfim, por tudo ???

Nessa primeira viagem, conheci as cidades de Berlim, Dresden, Bremen, Munique, Londres, Amsterdam, Paris, Nice, Roma, Madri, Barcelona, Toledo, Praga, Lisboa. Depois disso, demorei um pouco mais pra reencontrar o meu amor. Afinal, já grandinha, era preciso ter meus próprios meios pra bancar uma viagem desse tipo. Então, com 25 anos voltei a Europa!

A viagem foi organizada com bastante antecedência e pesquisada nos mínimos detalhes. Foram 24 dias, viajando de mochilão pela Europa. Minha dupla de viagem foi a Vanessa e os países escolhidos foram: Itália (Milão, Veneza); Áustria (Innsbruck, Salzbrug e Viena); Hungria (Budapeste); Rep. Tcheca (Praga); Alemanha (uma passada rápida pela OktoberFest, em Munique) e Suíça (Berna, Thun, Lucerna, Genebra e Zurique). Foi em 2009, no mês de setembro.

Meu segundo mochilão pela Europa foi em 2011. Dessa vez, o grupo cresceu e ganhou mais 3 viajantes, meus irmãos e a namorada de um deles, na época. O foco da viagem era festas e praias, afinal, viajamos no verão europeu. Nosso destino foi Espanha (Barcelona, Ibiza, Formentera); Itália (Nápoles, Pompéia e Costa Amalfitana); Grécia (Mikonos, Santorini e Athenas) e Croácia (Dubrovinik, Hvar e Split).

Em 2013, voltei a Europa, novamente com minha amiga Vanessa, e a Camilla, minha amiga de longa data, que está morando em Londres e já viajou comigo para o Chile (viagem que merece um post mais tarde). Fomos em maio, pra curtir um clima mais friozinho pela região da Escócia, Irlanda, Bélgica e Inglaterra.

Em 2014, quebrando a sequência de viajar pra Europa de 2 em 2 anos, fui para a Turquia.....tudo bem, é Euroásia, mas ainda sim, tem uma parte do velho continente rsrs

Enfim, existe muito conteúdo para os próximos post e não vejo a hora de contar tudo pra vocês. Sem falar na minha dupla de viagem que já visitou alguns países que eu ainda não conheço, como a Rússia e a Suécia.

Esse primeiro post da série Europa vai ajudá-los a montar o  roteiro, escolher os meios de transporte, o número de dias e dar algumas dicas baseadas em nossas experiências pessoais. Achei importante fazer essa introdução pra vocês; primeiro, pra vocês saberem o que podem esperar dos próximos posts e segundo, pra passar algumas informações que são importantes pra ajudar a montar a viagem.

Então, vamos lá....vou tentar tirar algumas dúvidas para uma dupla viajante, que vai pela primeira vez para a Europa, lembrando SEMPRE, que TUDO é relativo!


  • Qual a melhor época pra viajar pra Europa?
A Europa fica no hemisfério norte e tem o clima bem diferente daqui, com estações bem definidas:

Primavera: março, abril e maio
Verão: junho, julho e agosto
Outono: setembro, outubro e novembro
Inverno: dezembro, janeiro e fevereiro

A primavera tem um clima agradável, as flores deixam os jardins mais bonitos e perfumados e o sol começa a se preparar pra aquecer. O verão pode ser ameno em alguns países, mas em outros, é intenso. É a estação mais alegre, com vários eventos e festivais. Os parques ficam cheios e as praias também. O outono é caracterizado por sua cor avermelhada, das folhas que se preparam para cair. Tem um clima gostoso também. O inverno é rigoroso e é possível encontrar neve em muitos lugares, com poucas horas de iluminação. 

Como tudo é relativo, vai depender do tipo de turismo que vocês pretendem fazer por lá! Esquiar? Inverno. Praias? Verão. Turismo para conhecer as cidades e a cultura local de maneira geral? Na minha opinião, primavera e outono, de preferência nos meses mais próximos do verão, para pegar um clima mais ameno (maio e setembro). Ahhh, vale lembrar que a estação mais cara para se viajar é o verão #FicaADica


  • Como escolher os destinos?
Vai do gosto e interesse pessoal de cada um. Cada lugar tem seus encantos! Indico escolher países próximos, que sejam passagem para chegar até outro. Vocês podem perder muito tempo com deslocamento se resolverem fazer uma viagem com países muito distantes. Imagina um roteiro com Rússia, Portugal e Croácia ??? Pra facilitar, vou colocar o mapa da Europa aqui embaixo :)



Tem gente, que prefere escolher um país e se aprofundar nele, outros preferem aproveitar para conhecer vários ao mesmo tempo. Eu sou do tipo que prefiro me aventurar por vários destinos! A viagem fica mais corrida, dá mais trabalho, mas é mais diversificada e dinâmica. 

  • Como se locomover internamente? Trem, ônibus, avião ou carro?
Ir a Europa e não andar de trem é o mesmo que vir ao Rio e não visitar o Cristo Redentor, andar de trem tem todo um charme, ainda mais para nós, brasileiros, que não estamos acostumandos com isso (infelizmente). Além disso, pode facilitar muito a vida do viajante. encomizando tempo e dinheiro. Existem alguns passes, mas é preciso estudar se realmente vale a pena o investimento e, normalmente, não vale.

Os aviões podem ajudar muito quando a distância é grande. Mas e se for pequena? Aí tem que ver o custo-benefício. A viagem de avião pode sair mais demorada que a de trem, se vocês levarem em consideração a antecedência para chegar no aeroporto, que às vezes fica afastado da cidade, o tempo para check in, despachar as malas, pegá-las de volta no destino final e de vôo, propriamente dito. Indo de trem, basta chegar com um pouco de antecedência para localizar a plataforma, entrar com a mala e sentar na poltrona, sem mistério! Só fiquem atentos sobre a necessidade de reservar lugar.

O carro é ideal para aqueles lugares que não tem trem, mas é preciso ver até que ponto o carro vai tornar a viagem mais confortável. Em grandes cidades, com trânsito e limitações para estacionar, eu não recomendo, pode tornar a viagem estressante e mais demorada. O carro é ideal para cidades da Costa Amalfitana, por exemplo, com belas paisagens na estrada e sem trem que faça a ligação entre elas.

Já li alguns relatos de algumas pessoas que usam o ônibus para viajar pela Europa, mas ainda não me convenci de ser o melhor transporte. Já usei esse meio de transporte em alguns trechos que não era possível ir de trem e talvez seja uma opção para aquelas pessoas que não queiram alugar carro. 

Vou deixar aqui alguns  links para facilitar a pesquisa de vocês sobre os meios de transporte:







  • Quantos dias em cada cidade?
Para capitais e grandes cidades sugiro no mínimo 3 dias, se vocês forem do tipo de dupla que aproveita o hotel apenas para dormir. Cidades como Paris e Londres o ideal é de 4 a 7 dias, isso se vocês não quiserem morar lá para o resto da vida rsrsrs Cidades menores podem ser conhecidas no estilo bate e volta, ou seja, vocês fixam a base em uma cidade próxima maior ou com mais estrutura e passam apenas o dia na cidade vizinha. Como pode ser feito, por exemplo, entre o Rio e Niterói ou o Rio e Petrópolis.

Uma coisa que facilita muito o turismo nas principais cidades é o hop on hop off, um ônibus que circula com os turistas pelos principais pontos da cidade, com áudio-guia em vários idiomas e além da visão panorâmica da cidade, proporciona ao turista a chegada nos pontos selecionados e retorno para o ponto turístico seguinte.



  • Quanto levar?
Esse é outro ponto que é super relativo. Vai depender do tipo de turismo que a dupla pretende fazer, a época escolhida, o estilo de refeição, se os hotéis/hostels já estão pagos, a quantidade de passeios, enfim, da programação de cada dupla. Um valor razoável, que vai dar uma margem de segurança, é 100 euros por dia, por pessoa.

Um site legal, que descobri a pouco tempo ajuda a calcular a despesa da viagem. Vale a pena conferir: Quanto custa viajar ?

  • Quando comprar a passagem?
Depois que a dupla resolveu mais ou menos o período que pretende viajar, o roteiro e quantos dias pretende passar, chegou a hora de comprar a passagem. Não se deixem levar pelo impulso das promoções, às vezes o barato sai caro. 

Não adianta comprar uma passagem se vocês não sabem ainda quais as cidades que serão visitadas, quantos dias serão necessários  para conhecê-las e se é um bom período para conhecê-las. Pesquisem bastante antes e só depois de muito estudo comprem a passagem. Os preços variam e é bom acompanhar durante um tempo para saber quando, realmente, o preço está valendo a pena. 

  • Visto - É necessário para brasileiro?
Para quem pretende fazer turismo e não vai passar mais de 3 meses na Europa, não precisa de visto. Alguns países exigem apenas o seguro de viagem e a validade mínima do passaporte. Duplas, atenção ao passporte, a última vez que fui renová-lo demorei dias pra conseguir uma data de agendamento, então, nao esqueçam de verificar a validade dele antes de resolver viajar.

  • Vacinas
Apesar de não ter nenhum exigencia de vacinação para o continente europeu, o site da ANVISA recomenda: "Apesar de não haver, no momento, exigência de vacinação contra o sarampo para visitação a ouros países, é recomendado que viajantes com destino a páises com ocorrência dessa doença, como os do continente europeu, atualizem a vacina contra o sarampo pelo menos 15 (quinze) dias antes da viagem."  

É.....duplas, pra fazer uma viagem por conta própria é preciso ter disposição!!!! São vários meses de pesquisa até formar a viagem perfeita, mas depois que ela acontece, não tem realização maior! Cada detalhe é personalizado e a viagem vai se moldando à dupla de forma que o quebra-cabeça se complete! Cada peça que é colocada no seu lugar é um sorriso no rosto e quando a brincadeira acaba, não tem nada mais prazeroso do que ver tudo montado pelas suas proprias mãos. No final, a gente percebe que todo o trabalho e tempo perdido não foram em vão, porque cada lugar conhecido na viagem faz parte desse imenso quebra-cabeça!

E aí ?!? Vocês têm alguma dica ou já passaram por alguma experiência na Europa? Deixem o seu comentário! bjs bjs e boa viagem

 Fernando de Noronha

Esse é o segundo post da série Fernando de Noronha. No primeiro, contamos as delícias culinárias da região. A variedade de bons restaurantes na Ilha faz qualquer turista voltar com alguns quilinhos a mais rsrsrs, mas é por uma boa causa, ou melhor, por várias boas causas. Quem conferiu o Roteiro Gastronômico em FN ficou com água na boca.

Hoje vamos contar sobre a aventura da Dupla durante 9 dias no paraíso. Se vocês estão pensando em visitar o local, se preparem para conhecer um dos lugares mais lindos do mundo! Mas isso não é novidade pra ninguém, basta ver as fotos publicadas na internet pra perceber que não estamos falando de um lugar qualquer, mas de um lugar muito próximo do que entendemos por paraíso.



A beleza de FN, sua rica fauna marinha e toda a simplicidade do local, fazem com que a gente queira voltar muitas outras vezes e olha que o mundo é muito grande pra repetir lugar, mas alguns lugares valem a pena serem repetidos :)

Essa é uma aventura que sai cara! As passagens pra Noronha costumam ser bem salgadinhas, mas é possível encontrar promoções, principalmente entre os meses de junho e agosto, em que existe um incentivo de 30% de desconto. Além disso, é possível voar com milhas ou aproveitar algumas promoções que acontecem ao longo do ano. As duas companhias que fazem o trecho são a gol e a azul, saindo de Recife e Natal.

Outra coisa que encarece muito a viagem é a taxa ambiental que, atualmente, é de R$ 51,40, por dia. A taxa pode ser paga pela internet no site oficial. Caso haja necessidade de saírem antes do pretendido é possível obter a restituição, antes de embarcarem para o continente.Também é possível prolongar a visita, pagando pela renovação da permanência. Aconselho o pagamento pela internet. A princípio, a fila no aeroporto é maior, mas em compensação, anda mais rápido que a fila das pessoas que não pagaram pela internet. Se optarem por pagar no local (aeroporto de FN), aconselho pagarem em dinheiro, porque também funciona mais rápido.

Assim que chegarem em Noronha, sugiro procurarem o posto do Projeto Tamar. É lá que se paga outra taxa, sim, mais uma taxa !!! Mas, duplas, não se espantem! Só quem conhece FN entende que esse é o dinheiro mais bem gasto do mundo. Na verdade, é um ingresso para entrar no Parque Nacional de Noronha. E vocês vão precisar desse ingresso, pois as atrações mais bonitas fazem parte desse parque. Atualmente, o ingresso pode ser comprado pela internet e custa R$ 81,00 para brasileiros e R$ 162,00 para estrangeiros. Os pontos de apoio contam com banheiros, duchas, lanchonete e lojas do projeto Tamar. As trilhas são bem cuidadas e tudo é limpo e organizado.

Após retirarem o ingresso, indico atravessarem a rua para agendar as trilhas. Façam isso assim que chegarem na Ilha, principalmente se for em algum feriado ou alta temporada. Pra vocês terem uma ideia, chegamos no sábado de carnaval e só tinha agendamento para quarta-feira de cinzas. O agendamento pode ser feito de segunda a sexta-feira, de 8:30 às 12h e 14 às 18h; sábados e feriados de 15 às 18h e domingo não tem. Algumas trilhas precisam de guia e existe a indicação de alguns. É preciso verificar a disponibilidade deles.

Contato dos guias para agendamento



Pronto, depois de todos essas burocracias (entrar no Paraíso tem seu preço) o resto vai ser só curtição !!! Preparem-se pra conhecer um dos lugares mais lindos do mundo. Só conhecendo FN pra entender a necessidade da preservação (e, por isso mesmo, o seu alto custo).

A melhor época pra curtir Noronha é setembro, período em que as águas estarão mais calmas. Fomos em fevereiro, no carnaval. Pegamos sol, chuva e swell, mas nada que impedisse a gente de curtir todos os dias do passeio. Lá funciona mais ou menos assim: o mar de dentro (voltado para o continente) costuma ter águas mais tranquilas; o mar de fora, águas mais agitadas. Quando entra o swell, se não tiver vento, isso inverte!

Com relação aos passeios, existe um Ilha Tour que é indicado para aquelas pessoas que vão passar poucos dias em Noronha. Ele percorre todas as praias e tem um pit stop para o almoço, não incluso. É interessante para ter uma visão geral e eleger as praias preferidas para os próximos dias na Ilha, por isso, recomendo fazer logo no primeiro dia. Pra quem for alugar buggy ou for passar muitos dias em FN, não recomendo. É possível conhecer todas as praias por conta própria!

Outro passeio bem legal é a volta na Ilha de barco combinado com o planasub. Fizemos pela empresa Trovão dos Mares, com o almoço a bordo incluído no preço. A embarcação é grande, com espaço confortável para todos. Uma dica é ficar no primeiro andar, na proa (parte da frente do barco), porque senão fica difícil tirar foto com os golfinhos, apesar de serem centenas. A parada para o almoço é na praia do Sancho. Enquanto o almoço e a embarcação são preparados, a galera desce para fazer flutuação na praia. O passeio é bem legal, vale muito a pena ! Infelizmente deixamos pra fazer o planasub em outro dia e nos demos mal, porque entrou o swell e o porto, normalmente com águas calmas, ficou bem agitado :((


planasub


O planasub, pra quem não conhece, são pranchas (umas 6) presas à uma lancha, que vai "rebocando" os passageiros. Quem não quiser muita aventura, pode ficar fazendo apenas uma flutuação com o snorkel. Quem quiser um pouco mais de emoção, pode direcionar a prancha para baixo, pra direita, pra esquerda e retornar à superfície. Não precisa de grandes habilidades, muito menos de curso de mergulho, meu pai (65 anos) fez e adorou!

Uma opção para as noites no arquipélago são as palestras que acontecem no Projeto Tamar. Começam às 20h e no próprio lugar vocês conseguem ver a programação pra semana inteira. O papel fica fixado ao lado da lojinha. Também é possível saber o horário da captura intencional das tartarugas, que acontecem às terças e quintas.




A captura intencional acontece na praia do Sueste. No horário marcado, forma-se um círculo de pessoas ao redor da onde vai acontecer a medição e coleta de dados das tartarugas, os biólogos explicam pra platéia sobre a importância da preservação das tartarugas marinhas e, depois, as liberaram na água. É muito interessante! Um programa pra toda família! Ao final, vocês recebem um carimbo do projeto, que pode ser trocado por um brinde (imã) no projeto Tamar.





Existem vários tipos de trilhas, a  mais concorrida é a trilha do Atalaia. No Atalaia existe a trilha curta, que é possível fazer com agendamento e sem a presença de guia, e a trilha longa, que passa por mais piscinas naturais que a trilha curta e precisa ser agendada por um guia. A dupla demorou tanto pra escolher o guia (mais ou menos R$ 100,00), que acabou não conseguindo fazer a trilha longa, portanto, agendem com antecedência. É possível fazer o agendamento e depois contactar o guia, mas o Dupla de Viagem facilitou sua vida e colocou uma foto (lá em cima) com o contato dos guias indicados ;)

Existem outras trilhas, como a do Forte dos Remédios, onde a subida é feita a pé e requer um certo condicionamento físico (para os mais sedentários ou acima do peso). Várias trilhas que levam às praias ou mirantes, como a que liga a praia do cachorro até a praia da Conceição, passando pela praia do Meio e a que liga a Cacimba do padre até o mirante pra ver o Morro dois irmãos.

As praias são de todos os tipos, desde as de fácil acesso até aquelas que precisam de uma ginástica ou, para alguns, uma boa dose de coragem para entrar, como a praia do Sancho, que possui 2 escadas encravadas em fendas na rocha. Pode ter certeza que, qualquer uma que for a escolhida do dia, vai ser surpreendente! Cada uma mais bonita e encantadora que a outra! Imperdível!!! No próximo post, vou colocar nosso roteiro dia à dia e explicar melhor, sobre cada uma delas.

O mergulho é realizado tanto na modalidade de batismo, quanto para os já credenciados. São 3 empresas que oferecem o passeio: A Atlantis Divers, Noronha divers e Águas Claras. Em geral, as 3 empresas passam credibilidade e são confiáveis, mas conversando com um local, que já trabalhou nas 3, ele indicou a Atlantis ou a Noronha divers. A diferença das 2 é a embarcação e o preço. O barco da Noronha Divers é de madeira, mas muito resistente e o preço um pouco mais em conta.

Pra quem gosta de conhecer a parte histórica, não deixe de visitar o forte, a igreja e o museu da Vila dos Remédios. A noite acontece o forró, no Bar do Cachorro, próximo ao centro histórico.

Outra atração da Ilha é o Museu do Tubarão, que possui um acervo sobre o assunto bem interessante. Ele foge um pouco do conceito clássico de museu, pois funciona dentro de um restaurante e de uma loja de lembranças, além de possuir uma área externa. Ou será que o restaurante e a loja é que funcionam dentro do museu ???? rsrsrs De qualquer forma, dá pra aprender bastante com o lugar....é um passeio bem interessante e nada cansativo.




Com relação ao transporte, existem ônibus que percorrem a Ilha toda, mas acho que demoram a passar. Vi pessoas no ponto de ônibus pedindo carona. Também tem táxi e, pelo o que eu fiquei sabendo, os motoristas cobram um preço fixo, dependendo do trecho que vão levar vocês. Acho que algo em torno de R$20,00 (levando em conta que a rodovia possui 7 km é um valor a considerar, mas que vale a pena se vocês estiverem em grupo). Umas meninas que conhecemos por lá e estavam nesse esquema de táxi, disseram que a ida é tranquila, o problema é a conseguir um táxi pra volta, até porque em algumas praias o sinal do celular não pega. Preferimos alugar um buggy, pela questão da comodidade, mas pode ser uma opção salgada, pois só existe um posto de gasolina (R$ 5,39/L e vocês achando que o que vocês pagavam estava caro rs) e a diária está em torno de R$ 140,00 dependendo da época do ano. Se forem alugar o buggy lembrem-se que não é bom encher o tanque, porque tem muita estrada de terra, com trepidação e pode acabar afogando o carro.



Então, duplas.... é isso aí.....encerramos aqui nosso segundo post de Fernando de Noronha. Esperamos que vocês possam aproveitar as dicas e pra aqueles que já conhecem esse paraíso, deixem aqui seus comentários.
São Miguel dos Milagres - Reveillon


Vocês já ouviram falar no Reveillon dos Milagres? Ainda não? Realmente, o Reveillon em São Miguel dos Milagres - AL ainda não é muito divulgado e, por isso, talvez,  preserve todo o seu charme !

O Dupla de Viagem foi conferir o evento que aconteceu na virada pra 2015 e conta em primeira mão tudo o que rolou por lá!

São Miguel dos Milagres está situada no litoral norte do estado de Alagoas, próxima a já conhecida cidade de Maragogi, famosa por suas piscinas naturais. Fica, aproximadamente, a 2 horas da capital e conta com um belíssimo litoral, bem pouco explorado pelo turismo. Suas praias paradisíacas são apaixonantes e as festas organizadas pelo pessoal do TamoJunto (site oficial) movimentam a cidade no período entre o Natal e o Ano Novo. 

É bem verdade que o público é composto, basicamente, por paulistas e alguns poucos alagoanos bem informados, que vão atrás de boas festas e gente bonita! Mas, nem por isso, essa dupla carioca se sentiu um peixinho fora d'água.

Para este ano, o pacote das 5 festas começou a ser vendido em setembro/14 (1º lote FEM -R$1335,00 MASC -R$ 1773,00, já com a taxa) e eu já estava atenta para não perder o primeiro lote. Ficar fora dessa, nem pensar! A venda de ingressos funciona num esquema de Q.I., ou seja, vocês têm que ter o email indicado por algum amigo e só assim receberão um email autorizando a participar da venda de ingressos. Mas se vocês não foram indicados por ninguém, não se preocupem, o facebook do TamoJunto passa o bizu pra vocês. Aliás, se vocês pretendem, realmente, ir nessas festas, comecem já a amizade com o perfil  TJ - Tamo Junto no FB, pois é a melhor forma de saber quando os ingressos começarão a ser vendidos e não correr o risco de ficar de fora. Os ingressos esgotam rápido e se vocês deixarem pra comprar na hora, pagarão um preço caro por isso.

As festas são dominadas por patricinhas e playboyzinhos que apreciam as músicas mais tocadas nas boates de todo Brasil. Estilo e bom gosto é o que não faltam por lá, mesmo que a mais patricinha de todas tenha que descer do salto e ceder ao uso da rasteirinha.

Durante o dia, a boa é curtir as praias e descansar bastante, mas se FESTA é o nome de vocês, aproveitem o Bar da Praia (site oficial), na praia do Marceneiro, onde rola um happy hour animado ao som de DJ, champagne e um lindo pôr-do-sol.



As festas do pacote rolaram em dois horários distintos, de forma alternada, sunset, a partir das 16h e noitada/balada, a partir das 22h, o que foi ótimo, porque não ficou cansativo.

A hospedagem nas pousadas TOP pode chegar a R$ 28.000,00 por 5 dias. Não, não errei na quantidade de zeros !!! O preço assusta aos menos abastados, mas é possível encontrar a opção de casas para alugar, se vocês forem em grupo, ou ainda, pousadas mais econômicas. Eu me hospedei em Porto da Rua (R$3.500,00), muito perto das festas (apesar de ser preciso pegar um carro), de um centrinho comercial, de alguns restaurantes famosos por lá e de onde sai o passeio para as piscinas naturais da Praia do Toque. Valeu a pena! Pousada Nascente dos Milagres

Para chegar nas festas, os táxis costumam cobrar um preço bem salgadinho, se levarmos em consideração a distância percorrida (R$40,00 por trecho). Nossa sorte, foi que o proprietário da pousada em que ficamos (Seu Estácio) cobrava a metade do preço. Algumas pessoas preferiam ir de carro até as festas, mas eu, sinceramente, apesar de não ser uma distância muito grande, preferia pagar pelo conforto. As festas são todas open bar e a estrada é escura, não vale a pena o risco!

Falando de festa, este ano foram 5 e todas esgotaram, o que mostra que o evento não é pouca coisa!

No dia 27/12, rolou a VALE NIGHT, em evento a beira mar, na praia do Marceneiro. O evento foi TOP, como já era de se esperar, o único problema foi na entrada, pois era necessário pegar uma van para chegar até o local e os organizadores perderam o controle da fila, gerando uma certa confusão.



















No dia 28/12, a festa foi no alto da fazenda, com um visual show de bola, perfeito para ver o pôr-do-sol. Não é a toa que o nome da festa é SUNGLASSES. O clima de sunset contagia o lugar e a festança vai até a madrugada.



 







No dia 29/12, a festa foi a COISA FINA, ao som de soul, house, funk e muito swing. Infelizmente, a dupla de viagem não aguentou o pique e acabou desistindo da festa. Viajar em dupla tem dessas coisas....uma pena, pois ficamos sabendo que teve a participação surpresa da Banda Eva.

No dia 30, a bola da vez foi a I BELIEVE IN MIRACLES, a famosa festa do boné rsrs Ela também aconteceu na fazenda, com vista do alto para a praia. Festa com muita fartura de bebida, taças e copos dos patrocinadores e música boa. O resultado não poderia ser outro, diversão garantida. Ah, todas as festas têm uma área de alimentação, mas se vocês estão com fome, preparem-se pra gastar um bom dinheiro! O único problema foi que os organizadores não cumpriram o horário combinado. Apesar de estar escrito no ingresso 16h, só liberaram a entrada para as 17:30 ! :(( O bom é que a festa foi topíssima e depois que entramos o mau humor ficou do lado de fora!





O tão esperado dia 31, ou melhor, a tão esperada noite do dia 31 foi marcada por uma festa de alto nível, regada a boa música, bebidas premium (chivas 18 anos, absolut elyx, corona, caipiroskas de frutas- que, aliás, teve em todas festas -  e chandon), comidas e alto astral. À beira da praia, como não poderia ser diferente, a queima de fogos impressionou e o ano começou com pé direito! REVEILLON DOS MILAGRES






Dia 1, voltamos para Maceió, mas pra quem continuou por lá, ainda pode aproveitar a festa balacobaco, dia 2 e  #esbórnia, no dia 3! haja disposição!

Nos despedimos de Milagres com a sensação de sair do paraíso e a certeza de que VALEU MUITO A PENA!

Pra quem tem vontade de conhecer São Miguel do Milagres/Maceió, em breve farei um post contando com mais detalhes essa nossa viagem! Suas praias, suas belezas e seus encantos de cores, aromas e sabores. Se curtiu, clica no G+1, compartilhe com seus amigos e deixe um comentário! ;-)



BONITO


E aí ?!? Decidiram ir pra Bonito? Tenho certeza que não vão se arrepender, mas..... Onde ficar ? Onde comer ? O que fazer ? Confiram essas e outras respostas aqui !!!


Onde ficar ?

Todos os passeios precisam de transporte, então, se vocês estiverem de carro, poderão escolher qualquer lugar pra ficar. Se estiverem usando o sistema de transporte para os passeios, recomendo ficarem próximos à rua principal, porque no final do dia poderão ir caminhando para algum barzinho ou restaurante.

Vocês poderão escolher várias opções de estadia: resort, hotéis e pousadas. Tem de tudo em Bonito! Mas para isso, terão que definir o que pretendem fazer por lá, digo isso porque são tantas as opções de passeios que às vezes não compensa gastar muito com um hotel que quase não será utilizado. 

Recomendo resort para aqueles que terão mais tempo de aproveitá-lo ou para aqueles que possuem filhos pequenos, por uma questão de conforto. Para os outros casos, recomendo hotel ou pousada.

Minha opção, ou melhor, da minha dupla, foi o resort Zagaia e aí eu acabei de contrariar tudo que eu sugeri antes rsrsrs Explico, apesar de ter ficado pouco tempo e ter feito muitos passeios, optamos por ficar em um resort porque queríamos algo mais romântico, nada como passar a tarde em uma jacuzzi com água quente bebendo uma champagne :))) É por isso que digo, cada caso é um caso e cada dupla tem que analisar o que lhe é mais conveniente. Como regra geral, mantenho minha sugestão, acho melhor ficar em um pousada ou hotel, porque serão tantos passeios que ele quase não será aproveitado! É bem verdade, que as piscinas do resort poderão ser utilizadas até bem tarde, após os passeios, mas grande parte da estrutura é para ser usada de dia e não vejo muita vantagem em deixar de conhecer todo aquele paraíso para ficar dentro do resort, salvo, como eu falei, se vocês tem muitos dias de passeios e querem um pouco de descanso, ou se a filharada irá junto com a dupla ;)

 Onde comer ?

Os passeios de dia inteiro oferecem almoço já incluído no preço. O almoço é no estilo self service, feito à lenha e tem no seu cardápio frango assando, arroz, feijão, macarrão, entre outros.

Se a sua atividade não tiver almoço incluído e você quiser  a dica de um restaurante bem gostosinho e legal indico a  Casa do João Vale a pena conferir! Tem fotos aqui no blog :)

Se vocês preferem fazer um lanche ou quem sabe experimentar a carne de jacaré, sem se aventurar em um prato completo do réptil, indico a pastelaria Pastel Bonito, que também tem fotos aqui no blog, inclusive do cardápio. Achei o preço salgado, mas valeu a pena ! Ah e a carne de jacaré é deliciosa :)))

Além desses, existem diversas opções na rua principal !!! Experimentem !

O que fazer ?

O preço dos passeios são todos tabelados, o que eu acho ótimo !!!! Nos poupa de ficar pesquisando preço e a melhor agência. Mas, atenção....os passeios oferecem um número limitado de vagas por dia, então não deixe para fazer sua reserva em cima da hora, principalmente nas férias e feriados. Tabela de preços

Indico fecharem os passeios com a agência da própria pousada, porque eles só emitem o voucher na hora e aí você aproveita que já vai fazer o check in e pega o voucher.

Fica a dica para vocês >>> Saímos de Campo Grande cedo e nosso primeiro passeio estava agendado paras 10hs. Quase chegando em Bonito, percebemos que sem o voucher teríamos que passar no Zagaia antes e não daria tempo de chegar no primeiro passeio. Conclusão, tivemos que cancelar o passeio à gruta de São Miguel para pegar o voucher e fazer o passeio da gruta azul às 11hs. Mesmo tentando que enviassem o voucher por email, já que os passeios estavam 90% quitados, não houve jeito, só emitem na agência. Então, cuidado com o horário que vocês marcarem os passeios do dia de chegada e lembrem-se que terão que pegar o voucher antes.

Os passeios são guiados por instrutores do local, então, acredito que pouco importa a agência que vocês fecharem. a minha foi a Crisval.

A variedade de passeios é enorme, então vale a pena pesquisar um por um e decidir qual o melhor roteiro. Indico fazer pelo menos uma flutuação, um passeio com cachoeiras e a gruta azul. Vocês vão amar !!!

Ahhhh, as agências costumam colocar a duração dos passeios e quanto tempo será o percurso até chegar neles, então dá pra se programar direitinho, mas não deixem pra sair em cima da hora, muitas estradas são de terra, com buracos e pra completar o celular fica sem sinal. Mesmo assim não tivemos problemas pra fazer os passeios por conta própria.

Informações gerais

 #FicaADica 1 >>>> Sobre a Gruta do lago Azul, desde janeiro de 2015, a Prefeitura disponibiliza 15 vagas diárias às 7 horas da manhã para visitação gratuita a todos os brasileiros, como forma de pagamento a União pelo uso do bem. As reservas das vagas devem ser feitas por e-mail (turismo.reservas@bonito.ms.gov.br) ou pessoalmente no CAT (Centro de Atendimento ao Turista, localizado na entrada principal de Bonito) pelos visitantes com os seguintes itens: a) Nomes dos Clientes e quantidade de pax; b) Documento de Identidade ou CPF; c) Endereço completo; d) Contato (e-mail e telefone);
As reservas serão efetuadas conforme ordem de chegada dos e-mails ou no CAT e o não envio de algum item no e-mail a reserva não será efetuada;
As reservas que não forem utilizadas devem ser canceladas com até 48h antes da data do passeio;
O voucher único para acesso e realização do passeio deve ser retirado no CAT – Centro de Atendimento ao Turista;
Não haverá cobrança da taxa do Guia de Turismo;
O seguro obrigatório contra acidentes será pago pela Prefeitura Municipal de Bonito;
O transporte não está incluso

 #FicaADica 2 >>>> Bonito possui 4 agências bancárias com caixa eletrônico até às 21 hs (CEF, BB, Bradesco e Sicredi, este último com caixa eletrônico 24 h)

#FicaADica 3 >>>> O período de 01 de nov a 28 de fev é o período da piracema, ou seja, da procriação dos peixes, então quase não se vê peixes como nos outros meses. Os meses de dezembro e janeiro são chuvosos. Nos meses de maio a agosto a temperatura varia de 15 a 25ºC durante o dia e chega a 6ºC a noite, dependendo da frente fria

É isso !!!! Espero que tenham gostado das dicas ;)

5 comentários:

  1. Olá, ótimas dicas!
    Gostaria de viajar no feriado de corpus christi (3 a 7 de junho).
    Costuma chover? Águas estarao cristalinas e cachoeiras cheias?

    Quais as melhores agências da região?

    Obrigada!

    Obrigada!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luísa! Que bom que gostou das dicas!!!! O melhor período pra conhecer Bonito é entre os meses de dezembro e março, justamente por ser o período das chuvas, em que a vegetação fica mais verde e as cachoeiras mais cheias, mas pode ocorrer dos peixes diminuírem por conta da piracema. A data que você escolheu é no período da seca, em que os rios ficam mais cristalinos. Pode ocorrer algumas queimadas e, por isso, afugentar os animais. Nesse período também é comum as temperaturas caírem bastante, lembrando que os melhores passeios são na água. Conclusão: é complicado escolher o melhor período, ainda mais com esse clima louco em que vivemos. Fui em outubro do ano passado e não me arrependi. Não choveu em nenhum dia, as cachoeiras estavam ótimas e os rios tb! Vou de novo em maio deste ano, volto para contar como foi ;) Espero ter ajudado!

      Excluir
  2. Olá pessoal, uma dica muito importante é em relação a reserva dos passeios que deve ser efetuada com bastante antecedência, pois todos os passeios tem número limitado de turistas por dia e caso deixe para reservar quando chegar a Bonito corre o risco de não conseguir fazer os melhores passeios.
    Tenham uma boa vigem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí, Valentim! Fazer a reserva nos passeios é fundamental para não correr o risco de ter que mudar a programação.

      Excluir
  3. Hi,
    Thanks for sharing these amazing information about this beautiful place. It has been a great help. Keep sharing and caring.
    http://www.samspacenter.com

    ResponderExcluir