Roteiro

Atenas - uma viagem ao passado - o que fazer, onde ficar, onde comer?

Primeiramente, queria pedir milhões de desculpas pela ausência aqui no blog. Nem sempre os compromissos do dia a dia permitem que a gente publique as novidades por aqui. Pelo menos quem segue a gente também no instagram @dupladeviagem consegue acompanhar as fotos e as viagens maravilhosas que fazemos. Essa viagem foi organizada para os meus pais no ano de 2015. Eles  voltaram e ficaram encantados com a viagem. Minha mãe elogiou muito o roteiro passo a passo que fiz para eles e resolvi compartilhar aqui com vocês.

Organizar uma viagem pra pessoas tão próximas da gente não é nada fácil, a exigência e cobranças são maiores, afinal a gente não quer decepcionar quem a gente ama, né?!? Tomei como base uma parte de um roteiro que fiz com meus irmãos em 2011 e adaptei para eles. E aí?!? Prontos para conhecer a Grécia?

Vamos começar nosso roteiro com Atenas, a capital grega!


Acropolis vista ao anoitecer



Quantos dias ficar?

Quando fui, há alguns anos, o foco da minha viagem era praia e festas, vou confessar! Então, acabamos reservando pouco tempo para Atenas e foi aquela correria. Conseguimos ver os principais pontos da cidade, mas não conseguimos apreciar com calma e desfrutar de tudo que a cidade tinha pra nos oferecer. O ideal seria 3 dias, tempo suficiente para visitar os museus, Acrópole, se deliciar com a culinária grega e curtir a cidade. Foi o tempo que programei para a viagem dos meus pais e deu super certo!

Onde ficar?

Indico o bairro de Plaka, fica próximo a tuuuuuudo, tem fácil acesso ao transporte público e é aquele lugar que a gente pode sair do hotel a pé pra jantar ou fazer umas comprinhas sem ter que pegar milhares de meios de condução. Por essa fácil localização, obviamente, o preço será um pouco mais caro, mas o gasto vale o conforto. Já ouviram falar que às vezes o barato sai caro? Pois é!!! De que adianta pagar mais barato na hospedagem e ter que gastar o tão precioso tempo se locomovendo, fora o custo do transporte de um lado para o outro!?

O Hotel escolhido para a viagem dos meus pais foi o Hermes, que fica entre a praça Syntagma e a Monastiraki, ou seja, super bem localizado! Pra chegar nele, basta seguir essas opções:
Pegar o ônibus x95 no aeroporto, custa 5 euros. Fica em frente ao terminal de chegadas. Tem que validar o ticket e demora de 45 a 55 minutos até chegar à praça syntagma. De lá, andar pela rua Mitropoleos e depois de 3 quadras, virar à esquerda na Rua Patroou. No final dessa rua pequena vcs verão o hotel.
Metro Os tíquetes podem ser adquiridos na própria estação, que fica a poucos passos do aeroporto, por cerca de €8 por pessoa. A vantagem, entretanto, é que há desconto para cada pessoa adicional (duas pessoas pagam €14, enquanto três pagam €20). O metrô parte a cada 30 minutos, das 5h30 à 0h15, e a viagem até a praça Syntagma dura, em média, 40 minutos.
De taxi custa uns 35 euros.

Quarto

banheiro




O que fazer?
Que tal começar a conhecer a cidade com uma guia local, andando pelas ruas e aprendendo um pouco da história da cidade?!? Às vezes, quando viajamos sozinhos, sentimos falta de um pouco de conhecimento sobre os lugares e curiosidades que só um guia podem passar, mas ao mesmo tempo não queremos ficar presos a um ônibus percorrendo a cidade naqueles famosos tours panorâmicos, não é mesmo ?!?
 A solução perfeita para isso são os "walk tours", uma guia da cidade que fala a sua língua (ou alguma que você entenda) e percorre alguns pontos da cidade a pé, com um grupo pequeno. Uma aula de história a céu aberto! São 3 horas de caminhada e o melhor é que é grátis, você só paga se quiser e quanto o seu bolso permitir.
Em Atenas, a guia que fala espanhol é a Yota e seu email de contato é atenasfreewalkintours@gmail.com Também existem guias em francês e inglês. Ela é super simpática e deixa tudo combinado por email. No dia, horário e local marcado ela aparece com seu chapeuzinho branco e sorriso no rosto. O ponto de encontro é a Igreja Bizantina da praça Monastiraki e os pontos visitados são: a praça monastiraki, a biblioteca de Adriano, a ágora romana, a ágora grega, a colina de Ares, Plaka, a praça Syntagma, o parlamento, o jardim nacional, o estádio Panateinaco, o templo de Zeus e o Arco de Adriano. É uma rota ao redor do centro histórico de Atenas e durante o passeio não se entra em nenhum lugar.
Guia Yota - Free Walk Tour

Outra forma de conhecer a cidade é por meio daqueles ônibus "sightseeing". Gosto muito desse sistema, porque permite que você faça o seu roteiro, visite os locais de sua preferência e ainda conheça um pouco a história com os áudio-guias, em diversas línguas, inclusive o português. O ponto de partida é a praça Syntagma, o trajeto completo dura 90 minutos, os ônibus passam de meia em meia hora, custa 18 euros e pode ser feito em 2 dias.

Esse é o roteiro do ônibus:

Stop 1 - Praça Syntagma
 Stop 2 - Melina Merkouri, Plaka
Stop 3 - Novo Museu de Acrópolis
Stop 4 - Acropolis & Parthenon
Stop 5 - Templo de Zeus
Stop 6 - Jardim Nacional
Stop 7 - Museu benaki
Stop 8 -
Estádio Panateinaco
 Stop 9 - Jardim Nacional
Stop 10 - Biblioteca Nacional
Stop 11 - Museu Arqueológico Nacional
Stop 12 - Praça Omonoia
Stop 13 - Praça Karaiskaki
Stop 14 - EstaçãoThession
Stop 15 - Praça Kotzia
Percebam que muitas paradas do ônibus são comuns à visita guiada a pé, mas, mesmo assim, eu faria os 2 tours e foi o que meus pais fizeram, usaram o ônibus para conhecer os pontos mais afastados e aqueles que não tinham sido vistos com a guia Yota. Quando fui, fizemos a pé, por conta própria.
Museu Arqueológico Nacional, um dos museus mais importantes do mundo nesta temática. Pegue o metrô e desça na estação: Victoria, daí é só ir caminhando até o Museu.
Acrópole: Chegar à região da Acrópole é fácil. Basta pegar a linha 2 do metrô e descer na estação Acrópole. Os ônibus 040, 230, 106, 126, 134 e 135 também dão acesso ao local. O tíquete custa €12 (adulto) e permite a entrada não só na Acropole, mas também no Teatro de Dionísio, no Templo de Zeus Olímpico, em Keramikos, Agora Antiga, Agora Romana e na Biblioteca de Hadrian. A Acrópole abre de segunda-feira a domingo, das 8h às 16h30, de outubro a março, e das 8h às 19h30, de abril a setembro.


 

Novo museu da acrópole - Pegar a linha 2 e descer na estação acropolis. É bom entrar no site para conferir os eventos do Museus. Quando meus pais foram aconteceu um show de tango na lua cheia, patrocinado pela Embaixada Argentina, com orquestra nos jardins do museu. A entrada era gratuita no horário do show e poderia ser visto a exibição permanente e a temporária. O restaurante do segundo andar ficou aberto. Um evento imperdível!



Entrada do Museu - foto de 2011  recém inaugurado


Saindo do museu da acrópole em 1 km se chega ao estádio olímpico.
Troca da guarda no parlamento acontece de hora em hora na praça Syntagma.
Andar pelas lojas e restaurantes de Plaka

Bairro de Plaka - rua de compras, bares e restaurantes (direto do túnel do tempo)


 Fora que andar pelas ruas de Atenas é ter um Museu a céu aberto.

Onde comer?
Dionysos O email para reserva é info@dionysoszonars.gr O horário ideal no verão é às 19:30h ou 20:00h para ver o por do sol e o começo do anoitecer com a Acrópole ficando iluminada  (primeira foto do post). De segunda a domingo das 12:00 pm até a 1:00 am Endereço: 43, Rovertou Galli St. 11742


A Dupla de Viagem (meus pais) no restaurante Dionysos

Tavern Kalokerinos: Kekroppos, 10 Plaka, Atenas 10558. Para assistir dança grega.

Pratos típicos: queijo feta, azeitonas, gyros pita, kebab
Duplas, esse roteiro foi pensado para facilitar a vida dos meus pais que não falam inglês e já têm uma certa idade. Lógico que é possível fazer tudo isso a pé, mas o ônibus hop on hop off é uma mão na roda, justamente para esses casos, concordam? Além disso, a possibilidade de percorrer as ruas da cidade conhecendo a história dos prédios e do povo, com pessoas que são locais, formadas em história é fenomenal! Aliar esses dois tipos de turismo só tem a agregar ao seu roteiro. #FicaADica


Sugestão de roteiro para eles:

Dia 1: chegar no hotel, tomar banho e às 16h fazer o roteiro com a guia em espanhol (3 horas de duração). Ponto de encontro na Praça Monastiraki. Jantar na sugestão com vista para acrópolis.
Dia 2: Comprar o ônibus sightseeing hop on hop off vermelho que sai da praça sintagma às 9h. Dar uma volta completa, que dura 90 minutos, e depois vai descendo nos lugares. Fazer o que é a céu aberto nos horários mais frescos (de manhã cedo e depois das 17h) e os museus fechados nos horários mais quentes. Observar no livreto do ônibus o horário que as atrações fecham. O tícket da Acrópole que inclui outras atrações pode ser usado em dias diferentes. Jantar próximo ao hotel, no restaurante de dança grega. Pedir para o hotel fazer a reserva.
Dia 3: Continuar fazendo o roteiro no ônibus. No caso dos meus pais, foram assistir o show de tango no Novo Museu da Acrópole, mas se não tiver nenhum programação especial a dica é jantar no bairro de Plaka, depois de dar uma volta nas lojas das ruas. 


Boulevard Olímpico - o que ver?

A dupla de viagem deu uma de turista na própria cidade. Com a criação do Boulevard Olímpico a gente não poderia deixar de conhecer essa nova área da cidade, totalmente revitalizada. E quem conhecia o antes se impressionou com o depois!
 
Aproveitamos que fomos assistir o jogo de vôlei de praia (BRAxARG), em Copacabana, para pegar o metrô e partir para o centro da cidade. Saltamos na estação da Carioca e fomos caminhando pela Avenida Rio Branco até a Rua Sete de Setembro, viramos à esquerda e depois à direita na Rua Gonçalves Dias. Pra quem não faz ideia de onde chegamos, mas já conhece a dupla de viagem mais gulosa do planeta rsrsrrs nossa primeira parada foi na Confeitaria Colombo, porque, afinal, ninguém é de ferro rsrsrs

Arena do vôlei de praia


Confeitaria Colombo

Saimos dali e continuamos caminhando pela Rua Sete de Setembro em direção à Praça XV (não tem mistério é só seguir em frente até a Rua Primeiro de Março). Chegando lá vocês já vão ver o arco de entrada do Boulevard. À direita, podem aproveitar para conhecer a Casa do Japão, no Paço Imperial. 

Preferimos continuar a caminhada até a casa da Austrália, na bolsa de valores. Essa casa é destinada, principalmente, pra quem pretende morar por lá. Logo ao lado, para os aventureiros, tem um guindaste com um bungee jump (40m). Muito obrigada, mas essa eu passei! rsrsrsr

vídeo do bungee jump


Seguindo pelo Boulevard, continuamos caminhando e apreciando toda aquela nova área. Ficou lindo demais! O Espaço Cultural da Marinha, que já falamos em outro post, floresceu com essa obra. Antes ficava em um lugar escuro e sujo, escondido embaixo do viaduto. Hoje, ganhou novos ares!

Mais adiante, chegamos finalmente próximo à pira olímpica e a parada pra foto é obrigatória!



A caminhada continua! Isso mesmo, não esqueçam de calçar um tênis bem confortável, porque vocês vão andar bastante. Por dentro do Primeiro Distrito Naval há um novo caminho super agradável com vista pra Baía de Guanabara. Quem quiser, pode aproveitar pra conhecer a casa de Portugal, um navio veleiro, mas prepare-se para a fila!

Ao fundo o Navio Veleiro Sagres


Finalmente chegamos na Praça Mauá, onde fica o Museu do Amanhã e o Museu de Arte do Rio. Também na mesma área, existe uma réplica do 14 bis, as letras que formam as palavras Cidade Olímpica e um palco armado para assistir as competições do dia.

Cidade Olímpica

14 bis

Museu do Amanhã

E se você achou que agora a caminhada tinha acabado, se enganou! Mas se você já está cansado de caminhar pode sentar um pouco e se deliciar com dezenas de food trucks que existem no local. Outra opção para não andar tanto é pegar o VLT, mas sinceramente não vai ter a mesma graça. Ao longo do caminho existem várias atrações que só poderão ser vistas caminhando e sentindo o clima de Olimpíadas no ar.

Mascote


Agora começa talvez uma das partes mais interessantes da caminhada, se é que é possível eleger alguma parte como a mais interessante! Após a Praça Mauá, o Boulevard continua e logo no Armazém 2 podemos visitar a Casa Brasil, que traz a nossa cultura de uma forma bem alegre e colorida.

Foto tirada em máquina na rua e enviada para o email na hora
Festas do Brasil

Que tal um basquete paralímpico?

A Casa da Coca-Cola estava com fila para entrar, então preferimos seguir adiante. O legal é que pela rua existem pontos interativos para tirar foto e enviar para o seu email, ou ainda sair na capa do jornal O Globo.

Outro ponto auge da caminhada é o painel feito pelo grafiteiro Kobra. É impressionante quanta beleza sai de uma parede que tinha tudo pra tornar aquele lugar feio, mas transformou a paisagem em algo bonito e criativo. 



Para finalizar, visitamos a casa do Rio de Janeiro, que está muuuuuuito legal!!! Super interativa e ótima para levar os pequenos. Quando fomos não tinha fila e não estava muito cheia, o que nós achamos ótimo! Talvez porque muitos desistam de chegar até o final da caminhada ou nem desconfiem que ela esteja lá. Com certeza com a abertura da Casa da NBA, bem em frente (altura do armazém 6) no dia 12 o público deve aumentar.

Uniforme usado pela Seleção de Vôlei

Ouro Olímpico




















Que tal uma partida com a Seleção? Casa do RIO

Simulador de remo



Sensacional define essa experiência!!! Acho que vale a pena reservar uma parte do dia para conhecer a nova zona portuária do Rio de Janeiro. Pra quem quer evitar o final de semana, mas trabalha durante a semana, a dica é ir após o expediente, já que o movimento é grande e as casas funcionam até 20hs.

Para os turistas, na casa do Rio de Janeiro é possível pegar alguns folhetos, mapas e sugestões de roteiros para o interior do Rio. Aproveitem! Além disso, nos quiosques de informação ao turista também têm revistas e guias bem legais.

Não deixem de conferir algumas dicas dos Museus que ficam no caminho (clique aqui)

Ah, fizemos esse roteiro em 3 horas, mas com certeza teremos que voltar lá outra vez. Primeiro, pra conhecer a casa da NBA que ainda não tinha inaugurado e também para conferir as outras atrações que estavam com fila ou vimos muito rápido, já que tínhamos horário pra voltar. De qualquer forma, reservem no mínimo 3 horas pra ter uma visão geral do local.

Espero que os cariocas tenham se animado a conhecer e os turistas aproveitem bastante.


O que fazer nas Olimpíadas do Rio? Museus - parte 2

E aí, duplas ?!?

Tenho certeza que leram nosso primeiro post das Olimpíadas no Rio e adoraram, né?!? Quem não leu, vale conferir aqui. Nele escrevemos sobre alguns dos principais Museus do Rio de Janeiro, principalmente aqueles situadas próximos à Praça Mauá.

Hoje vamos escrever sobre os outros museus (principalmente os que ficam perto da praça Cinelândia), que também fazem parte do nosso centro histórico e enchem os cariocas de muito orgulho, contando um pouquinho da nossa história.

1) Museu de Histórico Nacional


 O Museu conta com exposições permanentes, que retratam a evolução Histórica do nosso país por meio de moedas e automóveis, bem como exposições itinerantes. 

Nas Olimpíadas o Museu vai abrigar a Casa do México e contará com 3 exposições sobre o país: "A magia do Sorriso", uma amostra arqueológica que é uma alegoria para a felicidade; ‘Frida e Eu’, uma mostra interativa para crianças sobre a renomada pintora Frida Kahlo; e uma homenagem à história do desenho gráfico latino-americano dos Jogos Olímpicos em “América Latina, Jogos Olímpicos: México 68 – Rio 2016 ‘. Haverá também um espaço para explorar as possibilidades de turismo no México.

O Museu fica na Avenida Marechal Âncora, s/n (em frente a Aeronáutica, próximo ao Aeroporto Santos Dumont.

Horário de funcionamento: terça à sexta-feira das 10 às 17:30 horas. Sábados, domingos e feriados: das 14 às 18 horas.

2) Teatro Municipal


Não necessariamente um museu, mas um teatro com muita história pra contar! É palco de inúmeros espetáculos de ballet, ópera e até mesmo entrega de prêmios. Estar nesse lugar é como voltar ao passado e se sentir parte da nobreza. E nada mais nobre do que respirar cultura, não é mesmo?!? Hoje, graças a Deus, não é preciso pertencer a nobreza para frequentá-lo, pois possui espetáculos acessíveis a todos os bolsos ao longo do ano!

No mês das Olimpíadas, apresentará a Trilogia Amazônica -ballet e orquestra sinfônica do Teatro Municipal, nos dias 3, 4, 6, 11, 12 e 13, às 20h e nos dias 7 e 14 às 17h.

Também haverá apresentação da Ópera Sãvitri, com o solista da Academia de Ópera Bidy Sayão e músicos da orquestra Sinfônica do tettro Municipal, nos dia 19 de agosto, às 20h e dia 21 às 17h.

Os tickets podem ser comprados no site ingresso.com ou na bilheteria do teatro.

A visita guiada acontece de terça a sexta às 11:30, 12h, 14h, 14:30, 15h e 16h; sábados e feriados: 11h, 12h e 13h. A visita em inglês acontece de terça a sexta às 14h e sábado/feriados às 12h. O valor é R$20,00 (inteira), R$10,00 (meia).

O Teatro fica na Praça Cinelândia (acesso metrô Cinelândia).

3) Biblioteca Nacional


Ainda na Praça Cinelândia, encontramos esse lindo prédio, onde se situa a Biblioteca Nacional, considerada pela UNESCO uma das dez maiores bibliotecas nacionais do mundo e a maior biblioteca da América Latina.

A Biblioteca Nacional funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 19h, e sábados, das 10h30 às 15h.
A visita orientada na Biblioteca Nacional é gratuita e pode ser realizada de segunda a sexta-feira, em três horários: 11h e 15h (português); 13h (inglês).

 4) Centro Cultural da Justiça Federal


Ao lado da Biblioteca Nacional está o prédio da Justiça Federal e o seu centro cultural. No mês de agosto (até 28/08) haverá a exposição "Atletas de Corpo e Alma" que combina, em cerca de 60 imagens, atletas em ação nas suas respectivas modalidades esportivas com retratos produzidos de modo mais pessoal e intimista pelo fotógrafo Gustavo Malheiros.

Funcionará na galeria do segunda andar de terça a domingo, de 12h às 19h.

5) Museu Nacional de Belas Artes


Localizado entre o Teatro Municipal e a Biblioteca Nacional está o Museu Nacional de belas Artes, que possui um grande acervo de obras.

Aproveitando o clima de Olimpíadas, o museu recebe, até o dia 2 de outubro, a exposição “Os Jogos da Antiguidade | Grécia e Roma”. A mostra apresenta 10 das maiores coleções italianas e gregas, exibe esculturas que representam atletas, objetos usados por eles, ânforas e mosaicos que retratam cenas esportivas. São cerca de 60 obras, algumas com mais de 2.500 anos de idade.

Funciona de terça a sexta-feira das 10 às 17hs; sábados, domingos e feriados das 13 às 17 horas.
Ingressos: R$ 8,00 e meia: R$ 4,00 e ingresso família (para até 4 membros de uma mesma família) a R$ 8,00. Disponibilizamos audioguias: R$ 8,00. Venda de ingressos e entrada de visitantes até 30 min antes do fechamento do Museu. Grátis aos domingos.

6) Câmara Municipal do Rio de Janeiro


Completando a visita pela Praça Cinelândia, a câmara dos Vereadores também tem muita história pra contar. As visitas podem ser feitas nos dias úteis. Não achamos informação sobre o horário de visitas, mas acredito que seja no horário comercial. O telefone de contato para mais informações é Tel.: (21) 3814-2121
Aproveitando o tour pelo centro da Cidade, um passeio imperdível e bem pertinho de todos esses museus é o bondinho de Santa Teresa, que depois de alguns anos voltou a funcionar. 


O ponto inicial é perto do largo da carioca (metrô carioca), atrás da sede da Petrobrás, numa rua bem escondidinha, chamada Rua Lélio Gama.

O bonde está em fase de testes e opera de segunda a sábado, das 11h às 16h, com intervalos de 20 minutos. O ponto alto dessa viagem no tempo é quando o bonde passa por cima dos arcos da Lapa, antigo aqueduto.


Pra finalizar nosso roteiro de museus no centro histórico da Cidade Maravilhosa, não poderíamos deixar de falar de um lugar que, apesar de não ser museu, guarda na sua arquitetura toda a história da cidade e de quebra sacia nossa fome! É a confeitaria Colombo!





Ela foi fundada em 1894 e continua linda até os dias de hoje. Poder desfrutar de toda essa beleza tomando um chá, almoçando ou simplesmente comendo um doce ou salgado no balcão não tem preço, ainda mais depois de conhecer todos esses pontos turísticos do centro da cidade.

Uma sugestão para esse mês de agosto (04, 11, 12, 19 e 25/08/2016) é o chá tradicional, que acontece de 17h às 19h30, no segundo piso, pelo valor de R$ 65,00 + 10% (não aceitam cheque).

O cardápio do chá conta com uma variedade de delícias entre pães, frios, salgados, mini sanduíches e canapés, além de doces, bolos, mini tarteletes, e os já consagrados pastel de Belém e quindim de camisola. Para beber, café, chocolate, sucos e uma seleção especial de chás nacionais e importados, perfeitos para acompanhar biscoitinhos e petit fours.

Haverá uma Edição Especial 200 anos Missão Francesa no dia 26/08/2016.

A confeitaria fica na Rua Gonçalves Dias, 32 (Próximo à Rua Sete de Setembro). Metrô mais perto é a estação carioca. 

Funciona de 2ª à 6ª feira: de 09:00 às 19:30h; sábados e feriados: de 09:00 às 17:00.

É isso, pessoal!!! Esperamos muito que tenham gostado desse pequeno guia do nosso centro histórico, lembrando que ainda existem outros lugares pra conhecer, como igrejas maravilhosas. Sugerimos que vocês entrem em algumas, a medida que forem passando por elas! Um pouquinho de oração sempre faz bem, além disso são um colírio para os olhos de tão belas.

Viram como é possível aproveitar os jogos e ainda sair dessa viagem com muito conhecimento? Muito legal saber que muitos museus também se prepararam para esse período olímpico! Então, vamos aproveitar!!!
O que fazer nas Olimpíadas do Rio? Museus - parte 1

Oi, duplas!

Pra quem não sabe, nós somos cariocas e estamos empolgadíssimos com as Olimpíadas na nossa cidade. O Rio, que já é uma cidade super festiva, de clima super descontraído e povo acolhedor, vai ser o centro das atenções nos próximos dias e não tem como dar errado (até tem, né?! mas estamos confiantes de que vai dar tudo certo!rsrsrs).

Então, pra manter a tradição de que somos um povo hospitaleiro, preparamos um roteiro do melhor que a nossa cidade tem pra oferecer pra vocês e vamos começar falando dos museus. Afinal, por que não juntar esporte e cultura numa só festa? Os museus do Rio estão com várias exposições legais e cheios de novidades para o turista! Vamos a eles:

1) Museu do Amanhã



Promete ser um das grandes atrações da cidade! Foi projetado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava e faz parte da revitalização da zona portuária do Rio de Janeiro. Durante o mês de agosto terá funcionamento especial e os ingressos serão vendidos exclusivamente online (clique aqui) 

O Museu, em geral, abre de terça a domingo, com entrada das 10h às 17h. Nesse período, no entanto, existem exceções em quatro dias:
- Abrirão em duas segundas-feiras, nos dias 8 e 15 de agosto, com entrada das 10h às 17h.
- Funcionarão em horário diferente em dois domingos, dias 14 e 21 de agosto, com entrada das 15h às 20h.
 Às terças-feiras o museu é gratuito, mas excepcionalmente no mês de agosto só haverá gratuidade legal nesses dias. 

O valor é: 
inteira: R$ 10
Meia-entrada: R$ 5
Bilhete Único dos Museus (Museu do Amanhã + MAR): R$ 16 (inteira) e R$ 8 (meia-entrada)

Como chegar: O Museu fica na Praça Mauá e o VLT passa bem em frente. A estação de metrô mais próxima é a Uruguaiana (ainda assim é longe). Uma boa opção é pegar o metro até a estação da carioca ou cinelândia (também com excelentes dicas culturais, que falaremos em breve) e de lá pegar o VLT na Avenida Rio Branco. Ou ainda, você pode consultar o melhor ônibus (clique aqui)
 
2) MAR



Ainda na Praça Mauá, outro museu que vai ser a sensação, com uma super exposição "A cor do Brasil" é o Museu de arte do Rio. A exposição ficará até janeiro de 2017 e terá obras da Tarsila do Amaral.

Ingresso: 
 Pode ser comprado online (clique aqui)
Combo (MAR +Museu do Amanhã) R$16,00 inteira e R$8,00 meia
R$10,00 inteira
R$5,00 meia (Pessoas com até 21 anos, estudantes de escolas particulares -Ensino Fundamental e Médio, estudantes universitários, pessoas com deficiência, cariocas, moradores da cidade do Rio de Janeiro)
Gratuidade para todos às terças. Nos demais dias a gratuidade é  para: alunos da rede pública de Ensino Fundamental e Médio, crianças com até 5 anos de idade, pessoas com idade a partir de 60 anos, professores da rede pública de ensino, funcionários de museus, grupos em situação de vulnerabilidade social em visita educativa, vizinhos do MAR e guias de turismo.

Horário: Terça a Domingo de 10h às 17h

3) CCBB 


O já tradicional museu do Centro Cultural Banco do Brasil, que fica próximo à famosa igreja da Candelária e a poucos minutos de caminhada da Praça Mauá, está expondo até 17/10/2016 "O triunfo da cor", com obras primas dos museus franceses d'Orsay e l'Orangerie, entrada franca :))) A visita poderá ser feita por ordem de chegada ou por agendamento (clique aqui)

Funciona de quarta às segundas de 9h até 21hs.

Fácil acesso de ônibus (ver link acima, no museu do amanhã) e o metrô mais próximo é o da Uruguaiana. 

4) Complexo Cultural da Marinha



Ainda a alguns passos de distância de todos esses museus citados anteriormente, existe o não muito conhecido e não menos interessante Complexo Cultural da Marinha, que conta com o Museu Naval, Espaço Cultural e Ilha fical (foto). Excelente para crianças.

O Espaço Cultural da Marinha funciona de terça-feira a domingo, das 12h às 17h, na  Av. Alfred Agache, s/n, Centro, próximo à Praça XV.
Entrada gratuita para visitações. É possível visitar o Submarino- Museu Riachuelo e o Navio- Museu Bauru.

O acesso à Ilha Fiscal é feito pela escuna Nogueira da Gama ou, excepcionalmente, por micro-ônibus e o ingresso pode ser comprado na bilheteria do Espaço Cultural.

O Museu Naval fica na Rua Dom Manuel, 15, (próximo à Praça XV atrás do Palácio Tiradentes) e traz a exposição permanente “O Poder Naval na Formação do Brasil”, desde a chegada dos portugueses, as diversas invasões vindas mar, o período de colonização, o período da chegada da família Real no Brasil, a Regência, o Império e a República até os dias de hoje. 

5) Paço Imperial

O museu do Paço Imperial fica na Praça XV, próximo ao Museu Naval e ao lado da ALERJ (Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro). A entrada é franca para as exposições

O prédio colonial tem uma importância histórica imensa, já que foi lá que D. Pedro I decidiu ficar no Brasil e não voltar a Portugal – Dia do Fico. Lá, também, a Princesa Isabel assinou a Lei Áurea. Pesquisas dizem que em 1840, o Paço foi o primeiro local da América Latina a ser fotografado”

Além disso, nas Olimpíadas, será uma das Casas do Japão, com uma super exposição!

Funcionamento: de terça a domingo, das 12 às 19h
Período olímpico (01 AGO - 25 SET): de terça a domingo, das 11h às 19h.

6) ALERJ


Do lado do Paço Imperial, na praça XV (bem perto das barcas que vem de Niterói, Paquetá e Ilha do Governador) está o majestoso Palácio Tiradentes, também conhecido por ser a Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

A visita guiada acontece de segunda-feira a Sábado: 10:00 às 17:00 horas e Domingos e Feriados: 12:00 às 17:00 horas. O agendamento só é necessário para grupos de mais de 15 pessoas.

O Palácio abrigou a Assembleia Nacional Constituinte, responsável pela elaboração da nossa atual Constituição Republicana. É lindo por fora e por dentro.


E aí, gostaram?!?



Como puderam perceber nossa cidade é muito rica em cultura, do novo ao antigo, tem muita história pra contar!!! Essa foi apenas a primeira parte dos museus do nosso centro histórico. Além disso, são todos rodeados de igrejas maravilhosas, como a já citada Candelária (próxima ao CCBB), a igreja de Nossa Senhora do Carmo (em frente à Praça XV, onde a Princesa Isabel se casou) e o Mosteiro de São bento (Próximo à Praça Mauá, de 7h às 18h).

Espero que os cariocas aproveitem para conhecer a história da Cidade Maravilhosa e os turistas se encantem e voltem sempre!

No próximo post (clique aqui) falarei dos museus que ficam ao redor da Cinelândia. Tenho certeza que vão gostar!!!



FDS em BRASÍLIA


Duplas queridas,

Vocês que nos acompanham pelas redes sociais, sabem que fomos para Brasília neste fim de semana. A viagem foi ótimaaaaaaa e mesmo com um pouco de chuva, pudemos curtir aquele "céu  azul de nuvens doidas da capital do meu país".

Às vezes a gente acha que não tem tempo de viajar, de conhecer novos lugares e o Dupla de viagem mostra, mais uma vez, que é possível conhecer, em pouco tempo, muitos lugares. Já passamos 3 dias em Bonito - MS Roteiro e Destino e agora vamos mostrar pra vocês o nosso fim de semana em Brasília, uma viagem à capital do Brasil!

Brasília, classificada pela ONU como Patrimônio Cultural da Humanidade, respira história e arte! Situada no Planalto Central e fundada nos anos 60, com pouco tempo a região já possui grandes atrativos. O projeto urbanístico de Brasília foi projetado por Lúcio Costa e a grande maioria das construções foram projetadas por Oscar Niemeyer, o que faz da capital um grande chamariz para fãs de arte e arquitetura. 

O forte da capital é o turismo cívico, uma aula de história recente do nosso país e ainda desconhecida de muita gente, que acaba viajando para Brasília apenas para negócios.

O turismo em Brasília não é caro, a maioria dos prédios a serem visitados são públicos e com entrada gratuita. A passagem para BSB também costuma ser barata e o único gasto maior é com transporte, pois suas ruas amplas impossibilitam qualquer caminhada, por isso alugamos um carro no aeroporto, com diária de R$110,00.

O hotel que escolhemos foi o Mercure, situado na Asa Norte, em frente à torre de TV. O quarto é amplo, confortável e ainda tem uma piscina pra relaxar na cobertura. A diária custa em média R$ 160,00. Valeu muito a pena.




Cheguei sexta-feira e já saímos do aeroporto direto para o restaurante Universal Diner. O restaurante tem uma decoração exótica, um misturado de tudo e qualquer coisa que deu certo. Ficamos na espera (existem banquinhos do lado de fora) e depois de algum tempo fomos chamados (é bom chegar cedo, pois só tinham 2 mesas na nossa frente, mas achei que demorou muito). O atendimento foi maravilhoso e a comida então, nem se fale. Super recomendo! Pedimos de entrada a burrata acompanhada de shimeji e torrada; de prato principal, o steak universal e sex shirimp e de sobremesa o chocólatra. Tudo simplesmente MARAVILHOSO.




No dia seguinte, fomos buscar um casal de amigos no aeroporto e aproveitamos pra fazer um tour na cidade, com direito à Catedral de Brasília e uma visita guiada no Congresso Nacional. O CN possui visita guiada de meia em meia hora, das 9h às 17h, mas algumas salas só estão abertas para visitação no final de semana. Terça e quarta o atendimento é somente a grupos agendados com mais de 15 pessoas. Deve ser feito agendamento de seg a sexta para grupos com mais de 15 pessoas, atendimento em inglês, francês, espanhol ou libras e pessoas com deficiência de locomoção.




Depois do tour, fomos almoçar no Restaurante Taypa, onde tínhamos feito reserva. O restaurante é de comida Peruana e foi recomendado pelo Tripadvisor como um dos melhores do Brasil em 2015 veja lista aqui. Fizemos uma resenha de todos os restaurantes recomendados nessa lista, prometi e cumpri! Fui conferir se realmente ele fazia jus a estar entre os TOP10 e simmmmm, ele faz jus! Perfeito, divino, sensacional !!! Adoramos! Ainda demos a sorte de chegar no dia de estreia do novo cardápio. Pedimos de entrada o ceviche criollo, de prato principal pedimos, pescado al alzáfran, cabrito braseado (que serve 2 pessoas) e chernia com sabores de chupe. De sobremesa o clássico suspiro de limena e o chocolate caliente. As duplas se deliciaram :)


Nossa noite ficou por conta da festa de formatura do MBA do Diogo, minha dupla! E obviamente, no dia seguinte acordamos mais tarde! Mesmo assim ainda conseguimos subir na torre de TV, que tem uma vista privilegiada da esplanada dos Ministérios. A subida é feita de elevador e embaixo existe uma feirinha com praça de alimentação artesanato e outras coisinhas mais .






Depois das fotos, fomos para a Praça dos 3 poderes, onde fica o Palácio do Planalto, o STF, o monumento aos candangos (aqueles que ajudaram a construir BSB) e a bandeira do Brasil. Próximo também fica o Itamaraty e o Palácio da Justiça. 

Como não podíamos visitar tudo, demos prioridade ao STF, já que além de mim, a Carol que estava com a gente também era advogada. O prédio é muito bonito, todo de vidro. As salas internas são lindíssimas e o Plenário nos faz sentir dentro de um julgamento.


Conseguimos, ainda, dar uma passada rápida pelo Memorial JK (Juscelino Kubitischeck - presidente do Brasil na época da fundação da cidade). Como começou a chover só fizemos um registro fotográfico do local.



Pra finalizar o passeio por Brasília, fomos encontrar uns primos no Restaurante Cocobambu do Lago Sul. Esse tem que chegar cedo!!!! O restaurante é enorme e estava lotado....indício de comida boa. A tarde foi agradabilíssima e além da boa conversa provamos pratos deliciososssssssssss !!!! Éramos 9 adultos e pedimos 4 pratos. Os pratos são muito bem servidos e tem alguns, como o camarão internacional, que dá pra umas 4 pessoas. Pedimos também o camarão ao catupiry, o camarão canoa quebrada e a moqueca de camarão. Difícil saber qual estava mais gostoso. Ainda levamos marmita pra casa (o que é mto comum nesse restaurante). De sobremesa a pedida é a cocada ao forno, que também estava dos Deuses e muito bem servida. O cardápio é extenso e conta com uma enorme variedade. Ahhhh e o preço vale a pena também :)))

Cocada ao forno

Camarão Internacional
Depois da comilança, infelizmente a viagem terminou......mas foi um FDS maravilhoso, de muita história, cultura e diversão. Valeu muito a pena !!!

Algumas observações importantes:

>>Eu e Diogo já moramos em Brasília, então fizemos um turismo rápido com nossos amigos que não conheciam a capital, mesmo assim, entre tantos compromissos (festa e almoços) conseguimos mostrar um pouco da cidade para eles. Quem vai apenas para o turismo, consegue visitar e conhecer muito mais coisas.

Aqui segue a lista de todos os horários de visitação e informações de contato:


Espero que tenham gostado !!! Quem gostou, curte e compartilha !!! ;)




 Roteiro Gastronômico em Fernando de Noronha
Duplas queridas !!!!!


É impressionante como o nosso Brasil é recheado de pequenos paraísos, não é a toa que dizem que Deus é brasileiro! Só mesmo Ele pra criar um país tão rico em belezas naturais. 



O paraíso da vez é FERNANDO DE NORONHA, um lugar que dispensa apresentações, mas ao mesmo tempo é tão pouco conhecido pelos viajantes brasileiros.



O primeiro post da série Fernando de Noronha vai mostrar a riqueza culinária da ilha. Quando pensamos em Noronha, logo lembramos da fauna marinha: golfinhos, tubarões, arraias, tartarugas..., suas praias de cores caribenhas coroada com a presença do morro dois irmãos, mas o que pouco se conhece da região é a imensa quantidade de bons restaurantes que estão espalhados por aqueles 7 Km de rodovia.



A Dupla testou e se deliciou com os pratos do arquipélago e traz aqui um resenha completa dessa experiência gastronômica. 

O primeiro restaurante escolhido foi o XICA DA SILVA. Chegamos um pouco antes de 20h, o que foi ótimo, pois apesar do bom espaço que o restaurante possui, costuma encher depois desse horário. O primeiro atendimento foi cortez e explicativo. O ambiente é agradável e bem decorado. A rolha custa apenas R$ 20,00, os pratos principais variam entre R$ 73,00 e R$ 83,00, os duplos estão na média de R$170,00 e durante o período do almoço, de seg a sáb, é possível pedir um grelhado (peixe, maminha ou sobrecoxa) com acompanhamentos por R$ 99,00, para duas pessoas.

Nossa escolha, por recomendação do garçom, foi o peixe mestiço. Estava uma delícia, muito bem temperado. Custou R$ 77,00 e serviu a dupla, que estava com uma fome moderada. APROVADO!  Pedimos também o famoso tubalhau, bolinho feito com carne de tubarão, mas, sinceramente, não achamos lá essas coisas. E já que a rolha tinha um preço camarada, preferimos levar nossa garrafa de champanhe, para celebrar o começo de uma viagem maravilhosa :)))


Filé de peixe grelhado c/ molho de manjericão, purê de jerimum recheado c/ camarões e gratinado c/ molho cremoso de manjericão

O segundo dia de orgia gastronômica ficou por conta do Restaurante Varanda, na vila do Trinta, do chef Auricélio Romão, que também já comandou as cozinhas da Pousada Zé Maria e da Maravilha. Chegamos um pouco mais tarde e, como não havíamos feito reserva, tivemos que aguardar vagar uma mesa. A espera não foi muito demorada ou se foi, passou despercebida, pois o restaurante conta com mesas externas, onde é possível já ir namorando o cardápio.

Pedimos de entrada a lula à doré na farinha dourada, que estava uma delícia e custou R$ 39,00. O prato principal estava MA-RA-VI-LHO-SO, foi o gratinado de frutos do mar e custou R$ 139,00, fartamente servido para 2 pessoas. Vale muito a pena dar uma conferida no cardápio complete



frutos do mar puxado no azeite e temperos, envolvidos com arroz, legumes e queijo


Nosso terceiro dia de comilança começou com um almoço a bordo do catamarã que nos levou para fazer o passeio na ilha. Escolhemos a empresa Trovão dos Mares e não nos arrependemos, uma pena que o tempo ficou nublado. O almoço já está incluído no preço do passeio e é preparado enquanto fazemos snorkel na praia do Sancho. Ao retornarmos para a embarcação, o banquete está montado: saladas, sushis, arroz, feijão, farofa de pão, peixes, tudo muito simples, mas gostoso! Infelizmente, em meio a tantas belezas do passeio, não tiramos  fotos do almoço estilo self service. Bom, mas o passeio por si só já vale a pena, ainda mais com um almoço caprichado.

Como já tínhamos almoçado, deixamos a noite para fazer um lanche e escolhemos o Empório São Miguel. Era uma noite chuvosa e o restaurante estava bem cheio. Sentamos em uma mesa na área externa e parece que éramos esquecidos ali. Tudo que pedíamos não tinha e a recomendação era não pedir pizza, pois demoraria mais de 40 minutos. Acabamos pedindo tapiocas (R$ 19,00), que não vieram de acordo com o pedido e deixaram muito a desejar. Acabou que teria sido melhor esperar os 40 minutos pela pizza, pelo menos tinha uma cara ótima. Talvez, em um dia mais vazio, seja interessante experimentar as opções de grelhado, que variam de R$ 34,00 até R$ 56,00 com 3 acompanhamentos.

No quarto dia, descobrimos um ambiente muito bem decorado, que nos fazia esquecer a rua esburacada que nos levava até a POUSADA TRIBOJU. Parecia um cantinho de civilização no meio do Paraíso. Chegamos bem cedo, pois não tínhamos feito reserva e fomos muito bem atendidos. Nossas escolhas foram acertadas, mas confesso que fiquei com vontade de experimentar o risoto de camarão com limão siciliano (Fui obrigada a ceder em favor da minha dupla srsrs :)) De entrada pedimos um carpaccio de salmão, que parecia mais um sushi e de prato principal, uma apetitosa moqueca de frutos do mar, ambos deliciosos. Saindo do jejum de sobremesa, experimentamos a cheesecake de morango (a original é de pitanga, mas eles fizeram a gentileza de trocar). Bem, pra quem já foi na The CheeseCake Factory fica difícil encontrar comparação. Não gostei da consistência e o gosto deixou um pouco a desejar (Ai, como sou crítica rsrsr), mas comi tudinho rsrsrs Preço: bebidas não alcoólicas + entrada + prato principal + sobremesa = R$245,30









No quinto dia, trocamos o jantar pelo almoço, para aproveitar a vista da Pousada Maravilha. Esse nome não é a toa, pois a vista é realmente uma maravilha! Com uma piscina de borda infinita, o restaurante conta com a vista da Praia do Sueste e uma linda decoração. Dessa vez, pedimos um prato pra cada um, eu fiquei com o spaghetti de frutos do mar e minha dupla ficou com o risoto de frutos do mar. Os dois estavam fazendo jus ao nome da pousada, mas definitivamente o risoto foi o preferido da dupla. Estava divino !!!

Apesar do restaurante estar situado em uma das pousadas mais caras da região me surpreendeu o fato de não ter capiroska de morango (apesar de entender que a falta de muitos alimentos, inclusive em outros restaurantes, se deve ao fato do transporte ser feito por navios e dependerem das condições do mar) e a tão esperada sobremesa, petit gateau, ter acabado - sendo que o garçom afirmou que era um dos carros-chefes da casa, por ser feita lá mesmo  - é feita lá e não tem, como assim???). Outro ponto que não foi favorável foi o fato de não terem disponibilizado a varanda para o almoço, por ser exclusiva dos hóspedes. Poxa, a gente tinha feito reserva e o restaurante estava VAZIO. É um mimo com os clientes que às vezes faz falta. Tirando esses contratempos a comida, realmente, é muito gostosa! Preço: bebidas não alcoólicas + pratos principais = R$ 279,40.













O sexto dia, ou melhor, noite foi reservado para o Restaurante Du Mar, localizado próximo ao TAMAR, ideal para ir depois das palestras, mas se não for o caso, pode ser agendado um serviço de transfer gratuito do próprio restaurante. Fui com a expectativa lá em cima, pois uma amiga me indicou o risoto de camarão e eu já estava com vontade de comer esse prato desde o dia do Triboju rsrs.

Como fomos de transfer, aproveitamos pra levar mais uma champanhe para o restaurante (a rolha tb era R$ 20,00), mas qual não foi a nossa surpresa ao sermos informados que estava faltando gelo :(( Pelo menos, depois de um tempo, o gelo chegou e conseguimos gelar nossa bebidinha. De entrada, pedimos o mix de pastéis (R$ 29,90) que, na verdade, só vinha de queijo com camarão, porque os outros estavam em falta. (coisas de Noronha), estava gostoso. Finalmente o prato principal, aproveitei para pedir o tão esperado risoto de camarão (R$ 69,90), mas foi uma decepção :'( À primeira vista, o prato estava bonito, mas o camarão estava com gosto de terra e o risoto em si não me agradou. O prato da minha dupla, frutos do mar à provençal (R$ 69,90), também não foi grandes coisas. Conclusão, pelo preço que pagamos teríamos comido melhor em outro restaurante.





Deixamos o sétimo dia para conhecer a POUSADA ZÉ MARIA, já que não conseguimos a reserva para o dia do festival (quarta e sábado). O lugar é fantástico, o garçom Cláudio que nos atendeu era gentil e prestativo. Soube nos aconselhar nos pratos e ganhou nosso conceito 10! Comecei logo com a capiroska de uva! De entrada pedimos o delicioso ceviche, mas trocamos a marinada com graviola, por limão e laranja. O prato principal estava um verdadeiro deleite, cauda de lagosta com molho de manteiga e alcaparras, sem falar que o garçom tirou a carne da lagosta na nossa frente, deixando tudo prontinho pra ser "atacado". Não resistimos e pedimos a sobremesa. Meu Deus, não fiquei nem um pouco arrependida. Fantástica!!! E nosso garçom-amigo ainda nos serviu com uma cortesia de calda de brigadeiro extra. Uauu!

Pra completar, ao saber do nosso interesse em participar do festival, o Cláudio nos apresentou ao Ronaldo, responsável por este setor, que anotou nossos dados e prometeu conseguir uma reserva para o sábado :))) E não é que conseguiu!?! Seu Zé Maria abriu a parte externa da Pousada para o festival (que será comentado a seguir) e fomos agraciados com 2 lugares; de quebra ainda conhecemos um casal agradabilíssimo de Recife, com quem dividimos a mesa. Conclusão: comida excepcional, atendimento de primeira e simpatia nota 10! Com certeza foi eleito o nosso preferido pelo conjunto da obra rsrs. Preço: entrada + prato principal + sobremesa = R$ 347,45.









O Grand Finale ficou por conta do Festival Gastronômico da Pousada Zé Maria. O restaurante estava cheio, mas confortável. Como eu disse, ficamos nas mesas colocadas no lado externo, compartilhando com mais um casal. O clima estava agradável e a noite foi prazerosa. De ínício, parecia que não haveria comida pra tanta gente, ou espaço suficiente  para todos se servirem do banquete, mas não foi isso que aconteceu. O seu Zé Maria e seus chefs apresentaram os pratos e já acalmaram os ânimos garantindo que ninguém ficaria sem comida rsrs A questão não é apenas quantidade; além de muita fartura, o festival conta com comida de qualidade: paella, lagosta, peixes, bacalhau, salmão, sushis, camarões, carnes, frango, ceviche, saladas. Tem de tudo, para todos os gostos, sem falar nas sobremesas......é de se acabar!!!! Pra terminar, fomos presenteados com o show particular da Daniela Mercury, que estava curtindo as férias após o carnaval e, mesmo rouca, aderiu à cantoria da música ao vivo, por mais de 1 hora, alegrando nossa noite. Realmente, não poderia ter havido encerramento melhor da nossa viagem de carnaval !!!! Preço: R$ 163,88 por pessoa.





Em uma tarde que o swell tomava conta do porto e nos impedia de fazer o planasub, fizemos um lanchinho rápido pra matar o tempo e a fome no Museu do tubarão, com direito a bolinho de tubalhau, brigadeirão e sorvete frito, sim, sorvete frito. Esse merece até uma foto! Fica como uma sugestão de guloseimas, apesar de também servir pratos.







DICAS >>>

1)  Não se assustem com os preços! Em Noronha, comer bem significa pagar um pouco mais caro do que estamos acostumados, mas vale a pena ! Uma opção é fazer como fazíamos, uma boa refeição em um bom restaurante por dia; no mais, lanchinhos pra matar a fome. Agora, se vocês não estiverem a fim de gastar tanto dinheiro, existem opções mais em conta, como quentinhas de comida caseira por R$ 15,00 ou restaurantes com o preço mais conta;

2)  reservem com antecedência, para não correr o risco de ficar na lista de espera;

3)  caso não tenham feito reserva, cheguem por volta de 20hs. É a partir desse horário que eles costumam encher;

4)  como Noronha é pequena, vale a pena passar antes no restaurante, pra dar uma olhada no cardápio, ver se o menu, preço e ambiente lhe agradam, quanto custa a rolha, se aceita cartão...essas coisinhas. Aproveitem e façam a sua reserva com antecedência;

5)  é possível que faltem alguns itens do cardápio. Tenham sempre uma segunda opção. Vocês estão numa ilha e tudo é mais difícil de conseguir! Paraíso tem dessas coisas rsrs; e

6) se vocês tiverem que escolher algum desses restaurantes, fica a dica para o TOP5: Pousada Zé Maria, Varanda, Maravilha, Triboju e Xica da Silva. Não sei, necessariamente, em que ordem (Zé Maria nº1, com certeza), mas é fato que foram os 5 melhores !!!

E aí ?!? Se gostaram, compartilhem, cliquem no G+1 e deixem sua dica nos comentários :))



Bonito

Maravilhoso.......porque BONITO é pouco!

A viagem inaugural desse blog não poderia ser num lugar mais especial......BONITO !!!! Uma cidade com esse nome, poderia  deixar muitos viajantes frustrados, aumentado a expectativa de quem reserva alguns dias para conhecer o local, mas não é isso o que acontece. Se alguém achar que esse lugar não faz jus ao nome, com certeza é porque bonito é pouco para descrevê-lo!
A dupla que procura viajar para um lugar paradisíaco e com um imenso contato com a natureza, não vai se arrepender! Bonito foge do convencional!
Quando queremos relaxar, logo pensamos naquela viagem à beira mar, com coqueiros e um mar azul piscina, mas é isso que torna Bonito ainda mais especial, lá não tem mar e nem coqueiros, mas uma enorme variedade de passeios que vai deixar qualquer dupla completamente maravilhada!

Esse roteiro foi planejado para um feriadão (3dias), levando em consideração os principais passeios de Bonito: gruta, flutuação e cachoeira. Quem vai a Bonito pela primeira vez, tem que fazer pelo menos um passeio de cada uma dessas modalidades!
Algumas duplas podem pensar que em um lugar tão bonito quanto esse, 3 dias é muito pouco. Realmente, a quantidade de passeios e a beleza do lugar faz com que a gente queira passar muito mais do que isso, mas o bom de passar pouco tempo é que a gente sai de lá querendo programar a próxima volta :)
Percebo que muita gente fica adiando a viagem para Bonito, pois acha que vai ser preciso tirar férias ou acontecer um mega feriadão para valer a pena ir pra tão longe! Acreditem, se você tem uma sexta ou segunda-feira livre é possível ir pra Bonito e emendar com o final de semana, duvido que se arrependam ;)

Vamos ao ROTEIRO:

1º dia

Saí do Rio de Janeiro na quinta-feira a tarde e parti para Campo Grande- MS. A viagem é cansativa, pois é necessário fazer conexão e, no meu caso, fiz em Brasília. Cheguei em Campo Grande a noite e meu namorado lindo me levou para jantar em um restaurante chamado Cantina Masseria, onde comemos o prato da boa lembrança (aquele que a gente leva um prato de cerâmica de souvenir).
Após uma noite de descanso, partimos logo cedo para Bonito, que fica a 300 km.

Para quem quiser ir direto para Bonito, existe aeroporto na cidade! Fomos de carro, pq dá mais liberdade para fazer os passeios. Além disso, tive a oportunidade de conhecer um pouco de Campo Grande e achei a cidade bem organizada! Para quem vai de avião até Bonito é possível pagar um valor pelo transporte para os passeios ou alugar carro.

Bom, como demoramos um pouco a sair de casa e ainda tivemos que parar no posto de gasolina, acabamos chegando atrasados para o primeiro passeio: a gruta de São Miguel e tivemos que cancelá-lo :(

A viagem dura em média 3 horas e precisávamos passar na agência para pegar os vouchers dos passeios e pagar o valor restante. Fechamos os passeios por telefone com a própria agência do hotel em que nos hospedamos. A agência é a Crisval, que fica dentro do Eco resort Zagaia, mas também possui uma agência na rua principal.

Sinceramente, acredito que pouco importa a agência que vocês vão fechar os passeios, porque os preços são tabelados na alta e baixa temporada (a planilha com os valores pode ser conferida na guia de destinos desse blog). Só recomendo reservar os passeios com antecedência para conseguirem os melhores horários.
Já que o primeiro passeio não deu certo, fizemos o check in no hotel e fomos para o próximo passeio: a Gruta Azul ! A visita é guiada, como todos os demais passeios de Bonito e a gruta surpreende pela beleza da cor da água! Tivemos uma certa dificuldade para conseguir tirar fotos no local, já que a gruta não tem boa iluminação e o flash da máquina simplesmente transforma a foto em um imenso breu. Assim, recomendo fotos sem flash e máquinas devidamente reguladas, para que as fotos sem flash não saiam tremidas.
Gruta Azul - dispensa comentários

O passeio é rápido e logo depois fomos almoçar na Casa do João, um restaurante rústico, bem simpático, com comida simples, mas de um paladar nota 10! O espaço do restaurante é ótimo e conta com uma loja de artesanato e lembranças do lugar. Fica próximo à praça principal da cidade.
Ambiente aconchegante


Ambiente rústico e loja de souvenir




Petit Gateau de Nutella














Depois disso, tudo que queríamos era aproveitar o hotel! Como pegamos em excelente hotel (Eco Resort Zagaia), optamos por passar o resto do dia fazendo jus a diária rsrsrs e descansando da viagem. A estrutura do hotel é maravilhosa, assim como o buffet do café da manhã. Só achei que deixou um pouco a desejar no buffet do jantar.


Jacuzzi do Resort

2º dia

O segundo dia foi intenso! Começamos com a flutuação no Rio da Prata, que fica, na verdade, no município de Jardim. Nos preparamos com roupa de neoprene, máscara e snorkel, subimos no "pau-de-arara" que nos levou até o começo da flutuação.

Quadro com o percurso do passeio - Começa à direita, onde tem uns mergulhadores, que vão flutuando até encontrar o Rio da Prata
É simplemente, MA-RA-VI-LHO-SO !!!!! A visibilidade do rio é de 40m e a temperatura de mais ou menos 22 graus! É possível ver pacu, dourado, pintado, entre outros. E quem sabe vocês tenham a sorte, assim como nós, de se deparar com uma anta entrando no rio.
Redário

Energizando na árvore centenária
Bacuri

Pacu

Anta
Rio da Prata



Nascente
Almoço à lenha

Depois do almoço, foi o tempo de trocar de roupa e partir para o Buraco das Araras. Sugiro conjugar esse dois passeios, pois são próximos um do outro e, ao mesmo tempo, afastados de Bonito cerca de 40 km, já no sentido de quem está voltando pra Campo Grande.




  A noite, após o passeio, fomos até a rua principal apreciar a culinária sul mato-grossense e nos deliciamos com o pastel de jacaré. Nossa, que delícia!!!! O preço é salgado, mas vale a pena. Não deixe de experimentar o dois amores tb....é dos deuses !!!!

 










3º dia

Pra terminar esse viagem maravilhosa, deixamos para o último dia o Parque das Cachoeiras. Um passeio que começa às 9:00h e termina por volta de 13:00h (com almoço), ou seja, perfeitamente conjugável com a volta para Campo Grande, já que meu voô só era às 18hs!

Esse passeio é composto por trilhas leves (tablados de madeira com corrimão) e 7 cachoeiras, todas próprias pra banho ! Não precisa de maiores explicações, as fotos já dizem bastante. Não sabia como era passar o dia tomando banho de cachoeira faz muito tempo e nossaaaaaa......como é bom !

Voltei para o Rio com a bateria carregada !!!!! E vcs achando que 3 dias não dava pra fazer muita coisa, né?!? Dava até pra ter feito mais  8-)













Nenhum comentário:

Postar um comentário